quinta-feira, 14 de julho de 2016

Após protesto da Força Nacional, secretário diz que diárias serão pagas

Após um protesto de agentes da Força Nacional nesta quarta-feira (13) contra atraso de pagamento e por melhores condições dos alojamentos no Rio, o secretário de Segurança para Grandes Eventos, delegado Andrei Augusto Rodrigues, afirmou que as diárias dos oficiais estavam atrasadas por questões burocráticas.
Como mostrou o RJ/TV 2ª edição, o pagamento dos policiais, que ameaçaram abandonar a segurança dos Jogos, será feito "nas próximas horas".
“É importante dizer que o salário desses profissionais é pago pelos estados e eles recebem nos termos da legislação federal o valor das diárias para estarem aqui no Rio. Todos os recursos já foram disponibilizados, estão em trâmite no sistema bancário, ou seja, nas próximas as horas todos os servidores já terão recebido as suas diárias. O local onde esses policiais estão acomodados é um condomínio residencial recém construído. E como toda instalação nova requer obviamente nos primeiros dias de uso alguns ajustes”, disse o delegado.
Sobre as escalas de trabalho durante a Olimpíada e o possível abandono de postos de trabalho, Rodrigues afirmou que o planejamento está sendo revisto.
“Essas escalas estão sendo revistas e algumas já foram revistas com realocação de efetivos que estarão trabalhando na época dos Jogos na operação de segurança das competições, já diminuindo essas escalas. Efetivos que se incorporam a partir da semana que vem aqui no Rio de Janeiro, com a chegada de novos policiais com a edição da medida provisória que nos permite trazer para Força Nacional policiais da reserva”, afirmou.
Manifestantes ameaçam abandonar trabalho

A 23 dias da Olimpíada, agentes da Força Nacional realizaram uma manifestação reivindicando condições melhores de alojamento e o pagamento de diárias atrasadas. Com apenas uma semana de trabalho, eles ameaçaram até abandonar a segurança da Olimpíada.

Os manifestantes afirmaram que tiveram que instalar chuveiros, tomadas e lâmpadas no condomínio do programa “Minha Casa, Minha Vida”, do Governo Federal, cedido para servir de hospedagem.
Uma foto, divulgada na internet, mostra um soldado dormindo num colchonete e ao lado dele uma credencial da Rio 2016. Os policiais também afirmaram que faltam água e energia elétrica.
"Tem muita gente comprando colchão inflável", disse um militar, que pediu para não ser identificado.
A Força Nacional cuida da segurança interna de todas as instalações dos Jogos. Os policiais chegaram ao Rio no dia 5 de julho, faltando exatos 30 dias para início das competições. Eles são dos 26 estados e também do Distrito Federal. A formação começou há mais de um ano, em Brasília, e a maior parte do contingente é formada por PMs.
Menos efetivo

O plano inicial era contar com 9,6 mil homens, mas esse número será menor. Nem todos os estados cederam policiais pra integrar o grupo. Como o RJ/TV, serão cerca de três mil homens a menos.

Pra compensar esta falta, a tropa vai ter que trabalhar mais e folgar menos. E há outro motivo de insatisfação: o atraso no pagamento das diárias.
De acordo com fontes da área de segurança do governo federal, o atraso se deve a questões burocráticas. Os homens da Força Nacional recebem diárias que variam de R$ 230 a R$ 250 reais para cobrir os gastos com a alimentação. Mas eles querem o dobro. Parcela que já é paga a outros servidores que não estão nos alojamentos e precisam bancar a hospedagem.
Durante a manifestação no condomínio que serve de abrigo, um comandante tentou acalmar os ânimos.
“Neste momento eu sou solidário aos senhores. Eu vou tomar uma decisão. Vale a pena continuar ou não vale? Não maculem a trajetória dos senhores na força nacional por uma ato impensado. Reflitam! Escutem bem o contexto. Verifiquem a credibilidade daqueles que estão insuflando os senhores, não sejam massa de manobra”, diz o comandante.
“Quando é que cai a diária?”, alguém pergunta.
“Aguardem as próximas horas. Acalmem os ânimos, estamos no mesmo barco”, responde o militar.
Plano B

O governo federal está analisando a possibilidade de dobrar o valor da diária, mas fontes dizem que não há muito interesse nisso e que já um plano para substituir uma possível debandada da tropa. Foi assinada uma medida provisória que permite que PMs, bombeiros e policiais civis recém-aposentados possam integrar a Força Nacional.


Fonte: G1 Notícias

0 comentários:

Postar um comentário