terça-feira, 5 de julho de 2016

Embraer vai investir mais € 103 milhões em Portugal

A Embraer reforçou os planos de investimento da companhia em Portugal, em projetos que serão realizados a partir deste ano para sustentar os programas de novas aeronaves da companhia.
A maior parte dos investimentos irá para Évora, onde a fabricante brasileira tem uma unidade de fabricação de partes de aeronaves. Em conversa com jornalistas durante encontro promovido pela Embraer, o presidente da operação em Portugal, Paulo Marchiotto, afirmou que serão gastos na expansão da unidade € 93,6 milhões.
A Embraer tem duas fábricas em Évora, resultantes de um investimento inicial de cerca de € 180 milhões, e um centro de engenharia e tecnologia.
Outros € 10 milhões irão para a Ogma, empresa de manutenção de aeronaves e fabricante de partes de aviões, controlada em 65% pela Embraer e 35% pelo governo português, que a fabricante brasileira adquiriu em 2005.
 "Os recursos irão para a ampliação das fábricas, para ampliar a área em oito mil metros quadrados e adquirir novas máquinas", afirmou o executivo.
Segundo Marchioto, a ampliação será necessária para atender à demanda das linhas de produção em série dos E2, a nova geração de aviões comerciais E-Jets da Embraer A fábrica de Évora vai produzir os revestimentos da asa, o conjunto que faz a ligação entre a asa e a fuselagem e outras partes da própria asa, que será montada no Brasil.
 A participação da linha de produção em Évora vai ganhar importância na Embraer na medida em que as novas famílias da Embraer forem entrando em operação, apontou Marchiotto. É o caso da unidade de materiais compostos, na produção em série dos E2, que terão na unidade lusa a fabricação dos flaps e do estabilizador horizontal, feito pela empresa nesse material para um dos seus aviões comerciais.
Os investimentos em Évora tinham sido planejados há meia década, quando o projeto da unidade portuguesa foi lançado.
Os aportes novos incluem recursos originados pela Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP), em uma fatia do Estado português, dentro do programa comunitário Portugal 2020. Dos € 93,6 milhões, o governo português entrará com € 34,6 milhões na forma de incentivos financeiros.
As fábricas de Évora contam com 415 funcionários.
Na Ogma, empresa controlada pela Embraer em Lisboa, os € 10 milhões em investimentos vão ampliar a capacidade de atendimento da subsidiária em manutenção e em produção de peças, para atender, por exemplo, aos programas do seus cargueiro militar KC-390.

Fonte: Valor Econômico

0 comentários:

Postar um comentário