terça-feira, 22 de novembro de 2016

Rússia desdobra mísseis anti-navio mais modernos para as Ilhas Curilas

A frota russa do Pacífico instalou baterias de mísseis anti-navio em suas bases nas ilhas Curilas, garantindo proteção efetiva contra forças navais hostis e principalmente contra forças anfíbias, como os LHDs japoneses.

A Frota do Pacífico da Marinha Russa informa que a Base da Marinha nas Ilhas Curilas recebeu os modernos sistemas de mísseis Bal e Bastion e se prepara para realizar exercícios de disparo em breve.

O comando naval russo divulgou anteriormente os planos para colocar as armas anti-navio mais modernas e eficazes nas Ilhas Curilas, a fim de reforçar a proteção da fronteira russa nesta região litigiosa.

O sistema Bastion é um sistema de lançamento móvel que opera com míssil supersônico Onyx que pode destruir navios de superfície e alvos terrestres em um raio de 600 quilômetros. O sistema Bal carrega o míssil anti-navio X-35 com um alcance efetivo de 120km.

As Ilhas Curilas têm sido motivo da disputa entre a Rússia e o Japão desde o fim da Segunda Guerra Mundial, quando um vago acordo de reparações permitiu a Tóquio alegar que a União Soviética deveria devolver pelo menos parte do arquipélago, recebido como parte do encargo de guerra. A União Soviética insistiu em que sua soberania se estendesse a toda a cadeia insular uma posição que a Federação Russa continuou a ocupar.

O Japão vê a questão como significativa e extremamente carregada politicamente. Nos últimos anos, os nacionalistas japoneses marcaram o dia 7 de setembro como o Dia do Território do Norte, de acordo com o nome local para as ilhas, e os diplomatas do país rotineiramente protestam quando as autoridades russas visitam o arquipélago. A Rússia, no entanto, sempre insistiu em que qualquer mudança no estatuto das Curilas significaria uma reavaliação dos resultados da Segunda Guerra Mundial, que é expressamente proibida por tratados internacionais.

Na última declaração sobre a questão feita no início de setembro deste ano, o presidente Vladimir Putin disse que, embora as autoridades russas viam a assinatura de um tratado de paz com o Japão como uma prioridade, a disputa territorial sobre as Ilhas Curilas não estaria sujeita a revisão.

"Nós não trocamos territórios", disse Putin quando perguntado se ele estava pronto para considerar "desistir" uma das ilhas Curilas, a fim de chegar a uma resolução política e uma maior cooperação econômica com o Japão.

Em maio, o Ministério da Defesa da Rússia e a Sociedade Geográfica Russa enviaram uma expedição a uma das Ilhas Curilas, a fim de preparar terreno para uma nova base naval no arquipélago. Naquela época, o comandante do Distrito Militar Oriental, coronel-general Sergey Surovikin, disse a repórteres que todo o Extremo Oriente, incluindo a cadeia de ilhas disputadas, está se tornando vital para a segurança nacional. Para reforçar este "posto avançado" da Rússia, Surovikin disse que o Distrito Militar do Leste receberá cerca de 700 unidades de equipamento militar e armamento em 2016.

"A fim de evitar qualquer, mesmo que mínima, ameaças, medidas sem precedentes estão sendo tomadas pela liderança da Rússia e o Ministério da Defesa que visam o desenvolvimento de infraestruturas militares, planejado rearmamento das unidades militares, e reforçar a proteção de todos os militares e suas famílias, "Observou o comandante.

GBN seu canal de informações e notícias
com agências de notícias

0 comentários:

Postar um comentário