quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Navios russos perseguem submarino holandês

Um grupo naval russo no Mediterrâneo avistou e perseguiu um submarino holandês, que se aproximou dos navios para monitorar suas atividades, anunciou o Ministério da Defesa russo. Moscou criticou as ações "desajeitadas" da Holanda.
Nesta quarta-feira (9), o grupo naval de busca e resposta composto pelos navios anti-submarinos "Severomorsk" e "Vice-Almirante Kulakov", 'localizaram o submarino diesel-elétrico, presumivelmente da classe "Walrus" da Holanda, que tentou se aproximar do grupo de batalha da Frota do Norte para o monitoramento ", disse o Ministério da Defesa russo.
O submarino holandês foi "facilmente" visto há cerca de 20 km de distância do grupo naval russo.
"Os navios estavam rastreando as manobras do submarino holandês e obrigou-o a deixar a área do grupo", disse o comunicado do Ministério da Defesa.
Moscou também alertou que "tentativas desajeitadas e manobras perigosamente em estreita proximidade com o grupo naval russo" pela Marinha holandesa poderia levar a "acidentes de navegação graves."
O grupo naval russo também praticou suas capacidades de defesa anti-submarino depois de avistar o navio holandês.
"As forças anti-submarinas do grupo de batalha da Marinha Russa realizaram um exercício de treinamento sobre a organização da defesa anti-submarina".
Moscou também observou que não é a primeira vez que navios russos foram sombreados por submarinos da OTAN durante a missão.
"O grupo da frota do Norte acompanhou regularmente submarinos da OTAN no seu caminho durante toda a viagem", anunciou o Ministério da Defesa russo.
Acrescentou que no início de novembro, um submarino nuclear da Classe Virginia tentou monitorar os navios russos.
"Vale a pena notar que, tendo uma grande tonelagem, os navios desta classe não são projetados para realizar operações de vigilância."
O Ministério da Defesa russo observou que todas as "tentativas" por estados estrangeiros de abordar os navios são "monitoradas em tempo real, o que é uma prática marítima normal."
Os navios de guerra russos, incluindo o porta-aviões Almirante Kuznetsov, o cruzador de mísseis Pedro O Grande (Pyotr Veliky) e os navios anti-submarinos Severomorsk e Vice-Almirante Kulakov, foram enviados ao Mediterrâneo no dia 15 de outubro.
A partida criou um grande burburinho da mídia, com os países da OTAN, incluindo o Reino Unido, enviando navios de guerra para "acompanhar" o grupo naval russo.
Moscou, no entanto, salientou que os navios foram enviados para "garantir uma presença naval em áreas operacionalmente significativas dos oceanos do mundo", incluindo para garantir a navegação marítima.

GBN seu canal de informação e notícias
com agências de notícias

0 comentários:

Postar um comentário