quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Os custos e a disponibilidade da força aeronaval francesa


As três aeronaves da frota de aeronaves AEW Hawkeye E-2C da Marinha francesa aumentou sua disponibilidade operacional para 32,3%, um aumento significativo frente aos 24,7% do ano anterior, e os custos de manutenção no ano passado para a aeronave foi de 33 milhões de dólares, de acordo com o relatório do Ministério da Defesa francês. 

O relatório com o detalhamento sobre os custo de manutenção e taxa de disponibilidade das aeronaves da marinha francesa foi divulgado em 08 de novembro em resposta ao pedido do membro do parlamento francês François Cornut-Gentille, que tinha pedido a Marinha um relatório de custos de quanto foi pago para manter suas aeronaves. 

A idade média das aeronaves de alerta aéreo antecipado e controle Northrop Grumman E-2C Hawkeye voadas pela marinha francesa era de 15,9 anos, no final de 2015.     

As 23 aeronaves de patrulha marítima Dassault Atlantique II tiveram a menor disponibilidade, com 26,2% em comparação com 25,9% anterior, e custam cercade 117,3 milhões de euros para mantê-las operacionais. A idade média destas aeronaves é de 26,2 anos. 

A frota de 39 caças Dassault Rafale "M" estava disponível para uso 53,6%, acima dos 46,6% registrados no ano anterior, com um custo de manutenção na ordem de 158,9 milhões de euros. A frota de Rafale M possui uma idade média de 7,1 anos. 



Os 21 caças Dassault Super Étendard modernizados apresentaram um expressivo aumento em disponibilidade operacional, registrando 46,5%, muito acima dos 26,8% do ano anterior, o custo de manutenção desta aeronave ficou em 18,8 milhões de euros, um custo razoavelmente baixo. Porém, a marinha francesa esta retirando a aeronave do serviço ativo, com sua frota bastante "envelhecida" apresentando uma idade média de 46,5 anos. Os pilotos que voaram os Super Etendard da marinha do grupo aéreo do porta-aviões Charles de Gaulle, foram os que mais voaram missões de bombardeio sobre o Iraque e a Síria. 

A maior taxa de disponibilidade registrada foi dos cinco jatos de vigilância Dassault Falcon 200 Guardian, com 69% em comparação aos 65% anteriores, a um custo de 25,6 milhões de euros. A idade média da aeronave é de 25,6 anos.

É muito interessante analisar os custos operacionais e as taxas de disponibilidade das aeronaves em operação em uma força aeronaval com porte da francesa, algo que nos permite realizar estudos paralelos de custos e possíveis soluções á aplicar aqui no Brasil, tendo em vista nossa necessidade de aumentar as capacidades da arma aeronaval, que hoje em termos de asa fixa encontra-se equipada apenas com o vetusto AF-1 (A-4KU), algo que nos leva analisar os custos de implementação de novos meios aéreos embarcados de forma a tornar a arma aeronaval mais efetiva, capaz e operacional.

GBN seu canal de informação e notícias

0 comentários:

Postar um comentário