terça-feira, 16 de junho de 2015

Como é possível para um avião decolar 'na vertical’?

É uma manobra que muita gente pensava ser impossível: um avião decola da maneira usual e, repentinamente, começa a subir quase que na vertical.

A sequência foi filmada enquanto a tripulação de um Boeing 787-9 Dreamliner, um dos aviões mais novos da frota de gigantes da empresa americana, treinava para uma exibição no Show Aéreo de Paris, que ocorre esta semana.

O vídeo rapidamente se tornou viral. Afinal, não é bem o tipo de decolagem que se vê nos aeroportos do mundo.

A subida abrupta e acentuada cria uma enorme quantidade de arrasto porque o avião está a uma posição menos aerodinâmica conforme se move para a frente. Isso torna a aeronave mais lenta e a leva mais perto do ponto em que pode simplesmente não conseguir mais subir e acabar despencando, o que é conhecido na aviação como "stall".


Façanha militar


Como é possível, então, que um avião tão grande permaneça no céu em um ângulo tão radical?

A resposta está nas duas gigantescas turbinas GEnx-1B da General Electric suspensas sob as asas.

Todas as aeronaves com mais de uma turbina têm de ser capazes de decolar com menos potência do que a máxima. Se um avião possui duas turbinas, ele precisa conseguir subir com apenas uma; se tiver quatro, deve poder sair do chão com a força de apenas três.

No caso do 787, ter ambas as turbinas funcionando normalmente significa que havia bastante potência extra para ser utilizada caso houvesse necessidade. O fato de não estar carregando passageiros ou carga também ajudou.

Uma manobra dessas na decolagem pode não fazer o piloto ganhar muita simpatia entre os passageiros, mas é o tipo de façanha que os frequentadores de um salão aéreo gostam de assistir.

No passado, um P-8 Poseidon da Marinha americana – um avião de patrulha baseado no Boeing 737, já realizou uma acrobacia semelhante em outro show aéreo, como mostra um vídeo no YouTube.

Jatos militares, projetados para voarem a uma velocidade supersônica e aguentarem manobras mais arriscadas, são ainda mais capazes de realizar uma decolagem abrupta.

Alguns caças 'interceptadores', desenhados para subir aos céus rapidamente, podem atingir um ângulo extremamente íngreme.

O interceptador BAC Lightning, da Força Aérea britânica, utilizado do fim dos anos 50 até o fim da década de 80, ficou famoso por conseguir decolar praticamente na vertical. Tanto que seus pilotos costumavam dizer que conduzir esse avião era o mesmo que "estar amarrado a um foguete". Este outro vídeo no YouTube mostra a façanha.

Fonte: BBC Brasil

0 comentários:

Postar um comentário