segunda-feira, 15 de junho de 2015

Analista: fornecimento de S-300 ao Irã pode ser o novo trunfo da Rússia


O fornecimento no futuro próximo de mísseis S-300 ao Irã provavelmente será discutido não entre Teerã e Moscou, mas entre Moscou e Washington, e este será o trunfo político da Rússia para fortalecer as suas posições na arena internacional, opina um analista.
Quentin Buckholz, analista senior da empresa TD International escreve no seu artigo na publicação The Diplomat que a Rússia pode usar o futuro acordo de fornecimento de mísseis S-300 ao Irã para fortalecer suas posições no diálogo com o Ocidente.
Segundo o analista, Moscou pode recusar o fornecimento do sistema de defesa aérea ao Irã devido à controvérsia diplomática. O fornecimento já foi repetidamente adiado e é possível que isso venha a acontecer novamente. A falta de vontade de Moscou de fornecer os sistemas S-300 ao Irã, algo que pode mudar radicalmente o equilíbrio de forças no Oriente Médio, ainda é perceptível, mas agora a Rússia "percebeu a importância dos S-300 nas suas relações com os EUA".
"A nova crise nas relações russo-americanas causou a mudança de posição da Rússia sobre a questão dos S-300. A proibição de entrega foi levantada em abril de 2015 por Putin, em uma altura em que as relações entre a Rússia e o Ocidente atingiram o seu ponto mais baixo desde a época da guerra russo-georgiana de 2008."
Buckholz escreve que Moscou tenta introduzir na sua política externa um fator novo, que poderia melhorar a situação geopolítica no contexto da crise na Ucrânia. As autoridades ucranianas e países do Ocidente vêm acusando a Rússia de interferir nos assuntos internos da Ucrânia. Moscou, por sua vez, garante não ter qualquer ligação com os eventos no sudeste daquele país e nega categoricamente fornecer armamentos ou equipamentos militares aos independentistas ucranianos. A Rússia destaca ainda estar interessada na superação da crise política e econômica pelo país vizinho.

Em abril, a despeito da preocupação demonstrada pelos EUA e Israel, o presidente Vladimir Putin aproveitou o acordo firmado entre o Irã e o grupo do P5+1, sobre o programa nuclear iraniano, para revogar o embargo imposto há cinco anos sobre o contrato dos mísseis S-300, alegando que Teerã estava demonstrando grande flexibilidade e interesse em assumir um compromisso sério com as autoridades internacionais. Para o governo russo, no atual cenário, não há mais motivos para manter as sanções de 2010 do Conselho de Segurança da ONU, que proibiram a venda de equipamentos militares para o Irã.


Fonte: Sputnik News 

0 comentários:

Postar um comentário