quarta-feira, 25 de novembro de 2015

O que se sabe sobre incidente do avião russo derrubado pela Turquia

O avião militar derrubada na terça-feira foi o primeira da Rússia a cair na Síria desde que Moscou iniciou ataques aéreos contra opositores do presidente do país, Bashar al-Assad, em setembro.
O presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse que a ação da Turquia foi uma "punhalada pelas costas" e que haverá consequências para a relação entre os dois países.
Veja o que se sabe até o momento.
O que aconteceu?
Tanto a Rússia quanto a Turquia dizem que o avião russo Su-24 foi atingido por caças F-16 da Turquia na área de fronteira entre Turquia e Síria em 24 de novembro.
O presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse que o avião, que levava dois pilotos, voava a uma altitude de 6 mil metros quando foi atingido por um míssil ar-ar.
O caça caiu em uma região montanhosa dominada pela população turcomena (grupo étnico que vive na região entre Síria, Iraque e Irã desde o século 11). A área é disputada pelo governo sírio e forças rebeldes.

Por que ele foi derrubado?

Em uma carta ao Conselho de Segurança da ONU, o representante da Turquia, Halit Cevik, disse que duas aeronaves de nacionalidades desconhecidas haviam se aproximado do espaço aéreo turco perto da cidade de Yayladag, na província de Hatay.
As aeronaves foram alertadas 10 vezes em um período de 5 minutos por meio de um canal de emergência e foi solicitado que mudassem de direção, acrescentou ele.
Os dois aviões ignoraram os alertas e avançaram 2,19 km e 1,85 km, respectivamente, para dentro do território da Turquia, durante 17 segundos, às 9h24 do horário local.
"Após a violação, o avião nº1 deixou o espaço aéreo turco. O avião nº 2 foi alvejado enquanto estava no espaço aéreo turco por caças F-16", escreveu Cevik. "O avião nº 2 caiu no lado sírio da fronteira entre Síria e Turquia."
As Forças Armadas da Turquia também publicaram o que afirmam ser a imagem de radar da rota do avião russo, mostrando que ele voa brevemente pelo extremo sul da Turquia.
ReutersImage copyrightReuters
Image captionTurquia diz que agiu em concordância com regras
Mas Putin afirmou que o Su-24 estava em território sírio, a 1 km da fronteira da Síria com a Turquia, quando foi atingido. Ele caiu a 4 km da fronteira, segundo ele.
O Ministério da Defesa russo disse que a aeronave havia permanecido nas fronteiras da Síria ao longo da missão. "Análise de monitoramento de dados objetivos definitivamente mostram que não houve qualquer violação do espaço aéreo turco", disse.
Militares americanos disseram que há indicações de que o avião derrubado entrou no espaço aéreo turco por segundos, e que foi avisado para não fazer isso.

O que aconteceu com os pilotos?

Um deles morreu e o outro foi resgatado e passa bem, de acordo com a Rússia.
Um terceiro militar, que participava da operação de resgate, também foi morto.
De acordo com a Rússia, os dois pilotos conseguiram saltar de paraquedas do avião, mas rebeldes sírios atiraram nos dois quando eles estavam descendo.
Um deles foi atingido pelos disparos e morreu. Um vídeo publicado na internet mostra um homem com uniforme militar de voo deitado no chão - morto ou gravemente ferido - cercado por rebeldes.
Já o segundo piloto foi resgatado após uma operação de resgate, que durou 12 horas, e foi levado para uma base russa.
ReutersImage copyrightReuters
Image captionUm piloto teria sido resgatado e outro morreu
O representante do Ministério da Defesa tenente-general Sergey Rudskoy disse que o resgate foi feito por uma equipe de dois helicópteros enviada ao local para resgatar os pilotos.
Durante a operação, no entanto, um deles teria sido atingido por tiros e teve que fazer um pouso de emergência em área neutra. Um militar que estava no helicóptero foi atingido e morreu.
Rudskoy disse que as equipes de resgate foram retiradas do local em segurança.
Rebeldes sírios dizem que explodiram o helicóptero logo após ele pousar - eles publicaram imagens do ataque online.

Por que o avião russo estava naquele local?

A Rússia é um dos países ativamente envolvidos no conflito na Síria, que já deixou mais de 250 mil pessoas mortas desde março de 2011.
O país é aliado do presidente Assad e está realizando ataques aéreos em defesa de seu governo. A Rússia diz que está atingindo apenas "terroristas", principalmente militantes jihadistas do autodenominado Estado Islâmico - mas ativistas dizem que os ataques tiveram como alvo principal rebeldes que contam com apoio de países do Ocidente.
Parte desses rebeldes sírios receberam apoio substancial da Turquia, que se opõe a Assad. Ancara também permite que a coalizão multinacional liderada pelos EUA contra o EI use suas bases aéreas para conduzir ataques contra o grupo na Síria.

Como a Rússia reagiu?

O presidente Vladimir Putin disse que o incidente teria "consequências significativas" para a Turquia e insistiu que o avião derrubado não representava nenhuma ameaça.
APImage copyrightAP
Image captionAtivistas dizem que há pouca presença do Estado Islâmico em área onde aeronave foi derrubada
Ele disse que tem feito "ataques preventivos" contra o Estado Islâmico no norte da Latakia, e acusou a Turquia de fazer comércio com o grupo extremista.
"Temos acompanhando há muito tempo o movimento de grande quantidade de petróleo e derivados para a Turquia vindo de territórios ocupados pelo EI. Isso explica o financiamento expressivo que os terroristas recebem", diz.
"Isso foi uma punhalada nas costas feita por cúmplices de terroristas."
Apesar de a política da Turquia de permitir a passagem, em seu território, de armas e combatentes para rebeldes na Síria estar sendo explorada pelo Estado Islâmico, as autoridades negam que estariam dando apoio ao grupo extremista islâmico.
Segundo ativistas, o EI tem pouca ou até nenhuma presença na área em que o avião foi derrubado.

A Otan está apoiando a Turquia?

A Otan (Aliança Militar do Norte), da qual a Turquia faz parte, convocou uma reunião extraordinária após a queda do avião.
"Somos solidários com a Turquia e apoiamos a integridade territorial de nosso aliado a Otan", disse o secretário-geral da organização, Jens Stoltenberg.
"Espero que haja mais contatos entre Ancara e Moscou e peço calma e distensão", acrescentou.
A última vez que um membro da Otan abateu um avião russo ou soviético foi nos anos de 1950.
APImage copyrightAP
Image captionOtan convocou reunião extraordinária após episódio
O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, alertou que "todos devem respeitar o direito da Turquia de defender suas fronteiras."
"O motivo pelo qual incidentes piores não ocorreram no passado é a cabeça fria da Turquia", disse.
Erdogan também destacou que as ações da Turquia estavam totalmente de acordo com as regras adotadas depois que a Síria derrubou um caça turco em 2012. A regra diz que todos os "elementos" que se aproximam vindos da Síria são considerados ameaça inimiga.

Rússia não vai travar guerra com a Turquia após derrubar jato, diz ministro


O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, disse nesta quarta-feira que a Rússia não pretende travar guerra contra a Turquia após sua força aérea abater um jato russo perto da fronteira turca com a da Síria.

Lavrov também disse que a Rússia vê a derrubada do jato como um ato premeditado e que Moscou vai "reconsiderar seriamente" suas relações com Ancara.

Fonte: BBC Brasil e Reuters

0 comentários:

Postar um comentário