segunda-feira, 30 de novembro de 2015

"HMS Ocean" será descomissionado, segundo Royal Navy

A Marinha Real Britânica vai desativar seu único porta-helicópteros de assalto e entregar a tarefa para um dos novos porta-aviões que estão sendo construídos pela BAE Systems.
Os planos para desativação do HMS Ocean em 2018 fazem parte da Revisão Estratégica de Defesa e Segurança (SDSR – Strategic Defense and Security Review) divulgada em 23 de novembro. A decisão de desativar o capitânia da Marinha Real só se tornou conhecida quando foi mencionada brevemente pelo ministro da Defesa Earl Howe na Câmara dos Lordes.
O navio, atualmente o maior da Royal navy, acabou de passar por uma reforma que custou £ 65 milhões (US$ 97,8 milhões) no ano passado.
A Marinha Real negou que o navio de guerra será desativado antes do planejado.
“O HMS Ocean não vai encerrar suas operações mais cedo e vai continuar em serviço como planejado neste Parlamento. Como parte do processo da SDSR, foi tomada a decisão de não prorrogar o seu serviço e encerrar a carreira em 2018, de acordo com o seu tempo de vida de 20 anos “, disse a Marinha em um comunicado.
A SDSR disse que um dos dois porta-aviões de 65.000 toneladas de classe “Queen Elizabeth” sendo construídos em Rosyth na Escócia será “melhorada” para apoiar operações anfíbias da Marinha Real.
Um porta-voz do Ministério da Defesa disse que HMS Prince of Wales, o segundo dos dois porta-aviões a ser completado, provavelmente será destinado para a adição de novos sistemas para apoiar operações anfíbias.
Os navios de assalto Bulwark ou Albion, ou ainda o HMS Queen Elizabeth, poderiam ajudar a preencher a lacuna até que o HMS Prince of Wales esteja pronto no início da próxima década.
O HMS Queen Elizabeth, primeiro de classe, está programado para ser incorporado em 2017 e iniciar os ensaios de voo de helicóptero no mesmo ano. Ensaios de voo de jatos de combate Lockheed Martin F-35B estão programados para ter início no ano seguinte.
Os planos atuais não prevêem que ambos porta-aviões operem ao mesmo tempo, exceto em caso de emergência.
FONTE: Defensenews via Naval

Nota do GBN: Esta seria uma ótima opção a ser estudada pela Marinha do Brasil para reforçar nossa esquadra, pois trata-se de um navio muito "novo", tendo passado por uma recente modernização e ainda possui muitos anos de vida útil a navegar.
Vale ressaltar nossa tradição na aquisição de oportunidade de navios oriundos da Royal Navy, e a nossa necessidade de um meio com suas capacidades táticas e operacionais.
Como ainda resta tempo até o efetivo descomissionamento do HMS Ocean, temos tempo hábil para negociar junto aos britânicos e alocar recursos no orçamento para sua aquisição, claro que estando o navio dentro de um custo acessível. 

0 comentários:

Postar um comentário