quarta-feira, 6 de maio de 2015

Forças de reação rápida ajudarão o Japão no conflito com China


O Japão pretende reforçar o seu papel militar e político no Norte da Ásia, colocando mísseis antinavio e 600 militares na região do mar da China Oriental.
Tóquio vai instalar forças de reação rápida e mísseis terra-navio nas ilhas de Miyako e Ishigaki, nas proximidades das ilhas Senkanu, que a China considera seu território. O analista militar Konstantin Sivkov refere que um grupo de 600 soldados será suficiente para, se for necessário, bloquear as abordagens de Senkanu.

O Ministério da Defesa japonês fez sua declaração em 6 de maio, imediatamente após o retorno do primeiro-ministro Shinzo Abe dos Estados Unidos. Durante a visita, ele obteve a confirmação do apoio incondicional de Washington no conflito do Japão com a China no mar da China Oriental.

“Os japoneses usaram o pretexto para colocar suas forças armadas lá [perto de Senkanu]. Eles começaram a agir de forma mais decidida nas questões em que anteriormente não iam além de declarações”, indica o especialista do Centro de Estudos Japoneses no Instituto do Extremo Oriente, Viktor Pavlyatenko.

O ministério japonês também revelou planos sobre a construção de uma estação de radar na ilha de Yonaguni, que fica perto de Taiwan. Além disso, em 2018 na base naval de Sasebo, na ilha Kyushu, será colocado um grupo de resposta rápida, equipado com veículos blindados anfíbios. Ele é projetado para uma transferência rápida para a área do mar da China Oriental em caso de agravamento da situação.


Fonte: Sputnik News

0 comentários:

Postar um comentário