sexta-feira, 8 de maio de 2015

Ex-combatentes e ministro participam de celebração do Dia da Vitória no Rio


Militares da ativa, ex-combatentes e membros do governo participaram nesta sexta-feira (8), no Rio, da celebração de 70 anos do Dia da Vitória — data que marca o fim da Segunda Guerra Mundial. Durante a solenidade, no no Monumento Nacional aos Mortos da Segunda Guerra Mundial, no Aterro do Flamengo, Zona Sul do Rio, cerca de 20 pessoas fizeram um protesto contra o Governo Federal.

Às 10h houve uma salva de tiros de canhão para iniciar o evento. O ministro do Trabalho, Manoel Dias, participa da solenidade, durante a qual foi lida uma mensagem da presidente Dilma Rousseff.

Durante a cerimônia, os militares das Forças Armadas, Forças Auxiliares e civis, brasileiros e estrangeiros, que contribuem para a difusão dos feitos da Força Expedicionária Brasileira (FEB) e dos combatentes na Segunda Guerra Mundial receberam a Medalha da Vitória. Também houve impostação de flores no Túmulo do Soldado Desconhecido, entre outros momentos de homenagem aos que combateram durante a Segunda Guerra Mundial.


Entre os presentes na cerimônia estava o ex-combatente Nelson Moreira Botelho, de 95 anos, presidente da Associação de ex-combatentes de São Gonçalo. Ele afirmou que é sempre uma grande emoção lembrar da guerra, mas espera que esses tempos difíceis não voltem. "Espero que não aconteça outra vez, é muita fome, muita miséria que a gente vê. O bom de ter tantos anos é que com o tempo a gente esquece muita coisa", afirmou o primeiro-tenente, que ficou quatro anos em Fernando de Noronha (PE), e na Itália durante a guerra. Ele fez questão de ressaltar  que ano que vem completa 70 anos de casado. "Voltei e casei", brinca.

O deputado federal Jair Bolsonaro compareceu ao evento e fez críticas ao fato da presidente Dilma Rousseff não ter comparecido à solenidade. "A não vinda dela aqui era esperada, afinal nunca teve amor à democracia. Estou aqui hoje para homenagear os ex-combatentes. Defendo os valores que os militares têm. Essa comemoração hoje mostra o quanto somos democráticos e respeitamos os direitos humanos. Graças a esses homens (ex-combatentes da guerra), hoje vivemos numa democracia e não falamos Alemão", ressaltou o deputado. Devido a problemas de agenda, a presidente Dilma Rousseff precisou cancelar a vinda ao Rio.
Fonte: G1 Notícias

0 comentários:

Postar um comentário