quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Imagens de satélite levantam dúvidas sobre o interesse chinês no Djibouti

O presidente chinês, Xi Jinping, disse aos soldados do Exército de Libertação do Povo estacionados na base chinesa em Djibouti, a primeira base militar do país no exterior, para "promover a paz e a estabilidade internacional e regional", segundo Ministério da Defesa Nacional da China. No entanto, as imagens de satélite revelam informações que podem detalhar as intenções da China na região.

Durante uma visita a um centro de comando de combate em Pequim, Xi incentivou a força chinesa no exterior a promover a boa imagem das forças armadas da China.

A base militar que possui 36 hectares, está localizada ao sudoeste do Porto de Doraleh, que esta sendo construído pela China State Construction Engineering Corporation, localizada a poucos quilômetros de Camp Lemonnier, atualmente a única base militar permanente dos EUA na África.

A China iniciou a construção da base em março do ano passado, após ter garantido um contrato de concessão por 10 anos para o que disse ser uma base de suporte logístico, usada para reabastecer os navios que participam em missões de paz e humanitárias no Golfo de Aden e no Mar da Arábia.

No entanto, a agência de notícias estatal chinesa Xinhua observou que a base também pode ser usada no âmbito da cooperação militar, promovendo exercícios conjuntos, evacuação e proteção de cidadãos chineses no exterior e resgate de emergência, bem como manutenção conjunta da segurança das rotas estratégicas internacionais.

Na verdade, o analista militar aposentado Cel. Vinayak Bhat examinou imagens de satélite da instalação e chamou-a de "fortaleza maciça" capaz de "acomodar facilmente uma brigada", acrescentando que isso permitiria que a China "monitorasse todo o movimento de transporte através do Mar Vermelho e do Golfo de Aden", bem como "exercer influência no continente africano".

Bhat escreveu no portal de notícias indiano “The Print” que a base contém inúmeros paióis de armazenamento, um depósito de munição, um complexo de escritórios e um heliporto. Por segurança, o perímetro da base consiste em quatro camadas de cercas e paredes, com estradas construídas entre as camadas para patrulhas de segurança.

O heliporto possui uma pista de 400m, uma torre de controle e um grande hangar, juntamente com sete hangares menores para apoiar a operação de helicópteros. As últimas imagens de satélite analisadas por Bhat também sugerem a existência de sistemas de controle terrestre para UAVs.

Uma instalação separada, protegida  e semi-subterrânea adjacente ao heliporto com três bunkers foi identificada como sendo quase com certeza uma instalação de armazenamento de munições. Bhat também concluiu que uma instalação de armazenamento semi-subterrâneo para combustível, óleo e lubrificantes foi construída na extremidade norte da base, ao lado de dois edifícios longos, que poderiam ser galpões de veículos.

O PLA, realizou uma cerimônia em 1 de agosto para marcar a abertura da base, com o primeiro contingente, veículos e equipamentos de apoio que partiram da Base Naval em Zhanjiang no dia 11 de julho para o Djibouti, a bordo de um navio-doca da Classe  “Type 071” e um navio de suporte logístico semi-submersível. Estes incluíram um destacamento de tropas e fuzileiros chineses, apoiados por pelo menos seis veículos de combate de infantaria ZBD-09, como mostrado nas fotos da cerimônia.

Avaliando o conjunto, como tamanho da base, as medidas de segurança e o equipamento implantado, sugere que a PLA tem mais do que o apoio as patrulhas antipirataria e a logística em mente para essa base. Uma possibilidade é que a China planeje criar uma força expedicionária, pronta para responder a qualquer crise que ameace seus numerosos interesses econômicos e comerciais no continente Africano e a suas "rotas marítimas” que ligam a China à Europa .


Também foi revelado que o destacamento marítimo havia sido treinado pela primeira vez nas instalações militares no Djibouti. O comandante da base chinesa, Liang Yang, foi citado dizendo que o exercício de com fogo real ajudará a explorar um novo modelo de treinamento para a primeira guarnição da PLA no exterior.

GBN News - A informação começa aqui
com agências

1 comentários:

Um pais de inteligência aumentas sua fronteiras para melhor estratégica de defesa

Postar um comentário