sexta-feira, 19 de maio de 2017

Rússia condena ataque da coalizão contra forças pró-Assad

"O ataque da coalizão liderada pelos Estados Unidos à um comboio pró-governo na Síria é ilegítimo e representa mais uma violação da soberania da Síria", disse o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergey Lavrov.
"O comando americano explicou o ataque contra as forças pró-governo sírio, dizendo que essas forças representavam uma ameaça à oposição que coopera com a coalizão liderada pelos EUA", disse Lavrov nesta sexta-feira (19). "Seja qual for a razão para o comando dos EUA tomar esta decisão, este ataque é ​​ilegítimo e ilegal. É ainda outra violação áspera da soberania da Síria. "

Além de violar a soberania síria, tais ataques dificultam os esforços internacionais para chegar a uma solução política da crise síria, disse o vice-ministro russo dos Negócios Estrangeiros, Gennady Gatilov, nesta sexta-feira (19).

"Qualquer ação militar que leve ao agravamento da situação na Síria afeta definitivamente o processo político. Especialmente se tais ações forem cometidas contra as forças armadas sírias. " Gatilov disse.

Damasco disse nesta sexta-feira (19) que o ataque de quinta-feira (18) atingiu uma posição do exército sírio na estrada Al-Tanf no deserto sírio "o que levou a baixas e danos materiais".

O ataque aéreo da coalizão liderada pelos Estados Unidos contra as forças pró-governo na Síria foi chamado de "agressão" e "terrorismo governamental" pelo embaixador da Síria na ONU e negociador-chefe do governo nas negociações em Genebra, Bashar al-Jaafari. Ele também disse que as ações dos EUA constituíram um "massacre", que foi discutido durante as conversas.

"Discutimos o massacre que o agressor EUA cometeu ontem em nosso país" , afirmou Jaafari.

"Queremos nos concentrar na luta contra o terrorismo representado por grupos armados e pelo terrorismo do Estado e do governo contra nosso país. Isso inclui a agressão americana, agressão francesa e a agressão britânica ".

O senador russo, Konstantin Kosachev, também condenou o ataque, questionando se foi um ataque deliberado.

"Você não pode considerar o ataque aéreo da coalizão liderada pelos EUA contra as forças pró-governo na quinta-feira um acidente ou um erro mais. Esta é uma ação deliberada e suas conseqüências ainda não foram estimadas ", Kosachev escreveu em sua página no Facebook.

"Este não é apenas um ataque na Síria e contra a Síria, mas também contra as negociações de Genebra. Os EUA estão irritados porque o processo de Genebra não está sob seu controle, o que é pior, pode ser bem sucedido ".

A sexta rodada de negociações de paz sírias em Genebra, que começou na terça-feira (16), foi "curta, mas produtiva", disse Gatilov. Ele também observou que o enviado especial da ONU para a Síria, Staffan de Mistura, queria que as reuniões de peritos continuassem além das negociações.

Mais cedo, a coalizão liderada pelos Estados Unidos admitiu ter atacado um grupo de milícias que luta junto às forças do governo sírio no sul da Síria na quinta-feira. Eles disseram em uma declaração que as forças sírias " representavam uma ameaça" para os EUA e tropas aliadas na base Tanf, perto da fronteira Síria-Iraque-Jordânia.

O incidente ocorreu quando as forças pró-governo entraram numa das zonas desmilitarizadas recentemente implementadas na província de Homs, onde supostamente entraram em conflito com o grupo militante apoiado pelos EUA, Maghawir Al-Thawra (anteriormente conhecido como "Novo Exército Sírio").

"Nós notificamos a coalizão de que estávamos sendo atacados pelo exército sírio e iranianos neste ponto e a coalizão veio e destruiu o comboio que avançava", disse a Reuters citou um representante militante.


GBN seu canal de informação e notícias
com agências

0 comentários:

Postar um comentário