segunda-feira, 15 de maio de 2017

Alemanha busca alternativas á base turca de Incirlik

A Alemanha esta considerando deslocar suas tropas da base aérea turca de Incirlik, após uma recente recusa de Ancara em permitir que deputados alemães visitassem os soldados ali estacionados, disse a chanceler Angela Merkel.

"Continuaremos as conversas com a Turquia, mas, paralelamente, teremos que explorar outras formas de cumprir nossa missão", disse Merkel. "Isso significa procurar alternativas para Incirlik, e uma alternativa, entre outras, é a Jordânia."

Wolfgang Hellmich, presidente da Comissão Parlamentar de Defesa , disse que a Alemanha "não será chantageada" pela Turquia, que negou esta semana o acesso de um grupo de deputados alemães para visitar os cerca de 260 soldados estacionados em Incirlik.

"Portanto, é absolutamente correto iniciar a retirada das tropas e o deslocamento para uma base que seja a melhor possível fora da Turquia", acrescentou Hellmich. "Isso deve acontecer agora." "As preparações concretas ... serão agora abordadas " , disse ele a imprensa.

Anteriormente, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Martin Schaefer, disse que a decisão de Ankara de proibir a visita foi "absolutamente inaceitável" e que certamente trará conseqüências.

A Alemanha mobilizou várias aeronaves Tornado e uma aeronave de reabastecimento na base, como parte da campanha liderada pelos EUA contra o Estado Islâmico no Iraque e na Síria.

O movimento recente para bloquear a visita dos deputados veio logo após a decisão de Berlim de conceder asilo para um número de oficiais do Exército turco que fugiram do país depois de uma tentativa fracassada de golpe ocorrida em julho do ano passado, o que aumentou ainda mais as tensões na relação entre os dois países.

No ano passado, a Turquia se recusou a permitir o acesso à base aérea a uma delegação parlamentar alemã. A razão para isso foi resultado do reconhecimento alemão do massacre de armênios pelas forças otomanas em 1915 .

O governo da Alemanha tem considerado oito locais potenciais para a alocar suas forças, incluindo bases na Jordânia, Kuwait e Chipre, com a Jordânia sendo apontada como a melhor opção.

Nesta segunda-feira (15), um porta-voz do Ministério da Defesa, Jens Flonsdorf, disse que a possível retirada de Incirlik afetaria as operações alemãs contra o EI, mas que as aeronaves de reabastecimento operando na Jordânia permitiriam que as missões de combate fossem voadas a partir das bases jordanianas. O deslocamento em si pode levar vários meses, disse Flonsdorf.

GBN seu canal de informação e notícias
com agências

0 comentários:

Postar um comentário