sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Rússia pode usar todos os meios disponíveis contra os terroristas em Aleppo

A Rússia se reserva ao direito, em caso de emergência de usar todos os meios disponíveis para combater as provocações dos terroristas em Aleppo, disse o porta-voz do Kremlin Dmitry Peskov nesta sexta-feira (28).

O porta-voz presidencial russo, assim comentou sobre o discurso do Estado-Maior da Rússia ao supremo comandante-em-chefe sobre a questão de retomar os ataques aéreos no leste Aleppo.

"Considerando que os terroristas anunciaram a intensificação planejada de ações de combate e também que eles tenham realmente mudado parcialmente a operações ofensivas, o Presidente delibera que em caso de emergência o lado russo reserva-se ao direito de usar todas as forças e os recursos disponíveis para combater ações provocativas dos agrupamentos terroristas e fornecer o devido apoio às forças armadas da República árabe da Síria ", disse o porta-voz do Kremlin.

Reinício dos ataques aéreos em Aleppo 'inconveniente'


Putin acredita que a retomada dos ataques aéreos na capital síria de Aleppo seria inconveniente, disse Peskov.

"O presidente russo acredita que seria desaconselhável no momento retomar os ataques aéreos contra Aleppo," disse Peskov aos jornalistas.

"O presidente acredita que seria possível estender a pausa humanitária em curso para a retirada dos feridos e militantes que desejam deixar a cidade, bem como o mais importante que é dar aos nossos parceiros americanos a chance de implementar suas obrigações anteriormente assumidas e cumprir sua promessa de separar a chamada oposição moderada de grupos terroristas ", acrescentou Peskov.

O porta-voz de Putin também disse que o presidente russo apontou para a direita do país para reservar a sua ajuda às forças militares do governo sírio "usando todos os meios em um nível adequado, considerando as recentes declarações feitas por militantes em suas intenções para intensificar as ações militares."

Peskov disse que "as decisões sobre novas ações da Rússia dependerá dos desenvolvimentos que se desenrolam."

Vladimir Putin vai tomar decisões estratégicas sobre a operação russa na Síria, enquanto o Estado-Maior será responsável pelo comando operacional.

"O Estado-Maior estará certamente a cargo de comando operacional, mas a definição das tarefas estratégicas e a adoção de decisões estratégicas, certamente vão ser definidas e feitas pelo Supremo Comandante-em-Chefe das Forças Armadas russas," Peskov disse aos jornalistas quando perguntado sobre quem iria tomar uma decisão sobre o fim da pausa humanitária em Aleppo e em outras atividades militares russas na Síria.

Peskov disse que o presidente iria "tomar as decisões sobre as ações que dependem da situação." Ele hesitou em dizer se as decisões seriam anunciadas com antecedência ou não. Segundo ele, isso vai depender da conveniência de anúncios preliminares.

Peskov explicou que a postura do General Maior dependem das informações recebidas diretamente da Síria e seriam levadas em conta na tomada dessas decisões.

Pausa em vigor apenas em Aleppo


Os militares da Rússia tem cessado os ataques aéreos sobre os terroristas na Síria apenas em Aleppo, Peskov observou.

"A pausa humanitária está em vigor apenas em Aleppo", disse Peskov.

Peskov disse que era difícil estabelecer um prazo que o presidente russo Vladimir Putin estenderia a pausa humanitária em Aleppo.

"O prazo foi fixado há muito tempo. Infelizmente, apesar do fato de que todos os prazos tinha sido perdidos, os nossos colegas americanos não cumpriram sua promessa", disse Peskov.

Quando perguntado quanto tempo Putin estava pronto para esperar antes de pedir para retomar os bombardeios contra os terroristas em Aleppo, o secretário de imprensa do presidente respondeu: "Eu sou incapaz de dar uma resposta precisa à sua pergunta."

"A tarefa principal e prioridade, do ponto de vista do presidente, é a evacuação e saída de feridos e civis de forma segura, bem como para os militantes que desejam deixar a cidade", disse ele.

Novos contatos entre a Rússia e os EUA sobre a Síria


De acordo com Peskov, não há planos para outros contatos sobre os recentes desenvolvimentos na Síria entre os presidentes dos EUA e da Rússia em um futuro próximo.

"Não, não há tais planos", disse o oficial Kremlin.

Quando perguntado se a Rússia tinha notificado os EUA da decisão de prolongar a pausa humanitária em Aleppo, o porta-voz do Kremlin respondeu que "as informações são trocadas através de canais operacionais militares."

"Eu não posso lhe dar uma resposta detalhada agora se esta decisão tem sido enviada aos homólogos americanos ou não, mas o intercâmbio regular de informações estão sendo realizados", acrescentou.

Militares russos pedem autorização de Putin para retomada de ataques aéreos contra Aleppo


O Ministério da Defesa da Rússia informou nesta sexta-feira que seu Estado Maior pediu permissão ao presidente Vladimir Putin para retomar ataques aéreos contra militantes na cidade síria de Aleppo após 10 dias de pausa, relatou a agência de notícias Interfax.

O ministério citou um levante na atividade militante e a continuidade de mortes de civis para justificar o pedido. Não houve comentário sobre a posição de Putin.

GBN seu canal de informações e notícias
com agências de notícias

0 comentários:

Postar um comentário