quarta-feira, 5 de outubro de 2016

Governo brasileiro tenta mais uma vez vender A-29 aos "hermanos"

O governo brasileiro aposta mais uma vez na venda de aeronaves A-29 "Super Tucano" aos argentinos.  Em sua recente visita á Buenos Aires, o presidente Michel Temer, possui dentre seus objetivos a promoção da venda das aeronaves brasileiras ao governo argentino. A proposta para fornecer 24 aeronaves do turboélice A-29 Super Tucano, busca mudar a atual intenção argentina de adquirir aeronaves norte americanas T-6 Texan II, concorrentes no mercado com a aeronave brasileira. Apesar da liberação para venda dos T-6 Texan II  recentemente aprovada pelo Congresso dos EUA, o governo brasileiro ainda segue no esforço de apoio a Embraer, usando das vias políticas e diplomáticas para conseguir reverter em favor da brasileira o contrato que visa substituir as aeronaves EMB-312 Tucano operadas pelos hermanos.
O Texan II já foi derrotado nos EUA pelo A-29

A nova proposta feita pelo governo brasileiro envolveria o financiamento dos 300 milhões envolvidos na aquisição das aeronaves pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento), que garantiria um baixa taxa de juros. A Argentina já possui histórico na operação de aeronaves da Embraer, sendo inclusive o EMB-312 Tucano a aeronave a ser substituída através deste novo contrato, sendo o A-29 uma aeronave muito mais capaz e moderna, além de possuir um grande e bem sucedido histórico de operações não só na Força Aérea Brasileira, mas com muitas forças ao redor do mundo, inclusive tendo sido selecionada em uma competição realizada pelos EUA onde venceu o T-6 Texan II em seu próprio país de origem.

O KT-1 venceu no Peru e pode ser ofertado a Argentina por Seul
Ainda há muito o que rolar até a finalização do contrato para aquisição de um substituto para os Tucanos argentinos, pois como já foi muito divulgado na mídia especializada em geral, o governo Macri tem buscado uma nova aeronave para equipar sua força aérea, e tem avaliado a aquisição do sul-coreano KAI F/A-50 Golden Eagle, aeronave de desempenho considerável mediano e que poderia ser a solução para a lacuna que existe na frota argentina com a chegada ao fim do ciclo de diversos dos seus vetustos vetores de caça. Diante deste quadro,é bem previsível que a industria sul-coreana aproveite a oportunidade para tentar fechar um pacote com o governo argentino, onde poderia fornecer não apenas o F/A-50, mas também seu turboélice avançado KT-1, aeronave que já tem obtido uma boa avaliação de sua operação com a força aérea peruana.

Os dados foram lançados e agora nos resta aguardar a decisão do governo argentino na escolha de sua nova aeronave.


GBN seu canal de informações e notícias

0 comentários:

Postar um comentário