domingo, 25 de julho de 2021

Outra tentativa de aposentar o A-10 Warthogs não está indo bem pra USAF

O Comitê de Serviços Armados do Senado rejeitou uma proposta da USAF que teria visto muitos aviões A-10 Warthog sendo aposentados.

O projeto de lei da política de defesa proposto pelo comitê para o ano fiscal de 2022 proibiria a USAF de aposentar os A-10, enquanto os líderes da Força Aérea disseram que manter os Warthogs poderia ser um grande erro.

A notícia do Senado salvando A-10s do cemitério foi relatada pela primeira vez por Valerie Insinna no Defense News. A USAF havia proposto a aposentadoria de 42 Warthog, reduzindo o número total de 281 para 239 aeronaves, com o objetivo final de reduzir o número de A-10 ativos para 218 em dois anos. Insinna relata que o tenente-general David Naholm, vice-chefe do Estado-Maior para Planos e Programas da USAF, disse que não aposentar os A-10s teria “consequências consideráveis”, incluindo custos mais elevados de manutenção e atualização.

Um A-10C do 66º Esquadrão de Armas

Naholm está se referindo aos planos da USAF de dar a seus Warthogs novas asas, as bombas de pequeno diâmetro GBU-39 , um novo display de alta resolução e uma série de outras atualizações para estender seu serviço operacional até 2030 ou além.

Enquanto isso, o senador Marco Rubio, da Flórida, defendeu a retirada dos A-10 para liberar mão de obra em apoio a três novos esquadrões de F-35 na Base Aérea de Tyndall, na Flórida . Essa proposta teve sua própria parcela de controvérsia , já que alguns alegaram que a base propensa a furacões seria um lugar arriscado para investir centenas de milhões de dólares em infraestrutura para os caças. 

“É meu entendimento que a linguagem está incluída na marca do presidente do orçamento de defesa de 2022, que proibiria o desinvestimento de 41 aeronaves A-10 às custas dos esquadrões F-35 de Tyndall”, escreveu Rubio em uma carta ao Presidente do Comitê de Serviços Armados do Senado Jack Reed e o membro James Inhofe. “Exorto o comitê a remover, ou rejeitar, qualquer disposição ou financiamento que prejudique a base estratégica de três esquadrões de F-35 em Tyndall”, escreveu Rubio. “Incluir tal linguagem teria um impacto significativo na produção de pilotos de F-35 da Força Aérea, nossa capacidade estratégica de colocar F-35s em campo no caso de um conflito e teria graves implicações de longo prazo para a segurança nacional dos Estados Unidos . ” 

Um A-10C solta um sinalizador durante um exercício no Nevada Test and Training Range

Enquanto os A-10s foram salvos, o projeto de lei aprovado pelo Senado veria a aposentadoria de 18 KC-135s e 12 KC-10s. Esses desinvestimentos estão sendo feitos a fim de abrir espaço para o ainda lutando KC-46 Pegasus , mas a USAF na verdade solicitou a retirada de 14 KC-10s no total. Além disso, a Força Aérea quer aposentar 48 F-15C / D Eagles , 47 de seus antigos F-16C / D Vipers , quatro aeronaves de gerenciamento de campo de batalha do Sistema de Vigilância Conjunta de Radar de Ataque do Alvo E-8C (JSTARS) e interromper as compras de drones (ARP, aeronave remotamente pilotada) MQ-9 Reaper. No geral, o projeto de lei proposto pelo Senado acrescentaria US$ 25 bilhões a mais à Lei de Autorização de Defesa Nacional.

Um A-10 taxia em posição após pousar na Base Aérea de Nellis

O fato de o Senado estar tentando salvar dezenas de Warthogs da aposentadoria ressalta como a aeronave de quase 50 anos permanece na vanguarda da missão de apoio aéreo aproximado (CAS) da Força Aérea, apesar das tentativas de substituir o A-10 por F- 35s para a mesma função. A Força Aérea tem tentado aposentar o A-10 durante a maior parte de sua vida e o último grande impulso veio durante a última década, mas falhou. No entanto, com cada diminuição no tamanho da frota A-10, há menos retorno sobre o investimento e ainda mais vulnerabilidade para novos cortes. Ainda assim, apesar das alegações de ser vulnerável às defesas aéreas modernas, a combinação da aeronave de blindagem pesada, resistência, agilidade em baixa velocidade e poder de fogo formidável ainda torná-lo uma presença aterrorizante para os adversários no solo.

Por essas razões, o A-10 provavelmente veio para ficar no futuro próximo, mas ainda não está claro quantos deles estarão voando nos próximos anos. Se o Comitê de Serviços Armados do Senado conseguir o que quer, por enquanto, toda a frota Warthog permanecerá intacta e programada para atualização.





Tradução e adaptação: Renato Henrique Marçal de Oliveira*

Comentário: comentamos sobre os A-10 neste artigo, e também o desejo da USAF em aposentá-los, mas a resistência do Congresso em autorizar esta aposentadoria gerou mais este capítulo de uma novela que não deve acabar tão cedo...

Renato Henrique Marçal de Oliveira é químico e trabalha na Embrapa com pesquisas sobre gases de efeito estufa. Entusiasta e estudioso de assuntos militares desde os 10 anos de idade, escreve principalmente sobre armas leves, aviação militar e as IDF (Forças de Defesa de Israel)

GBN Defense - A informação começa aqui

Share this article :

0 comentários:

Postar um comentário

 

GBN Defense - A informação começa aqui Copyright © 2012 Template Designed by BTDesigner · Powered by Blogger