terça-feira, 5 de junho de 2018

PROSUB: Marinha apresenta os avanços do programa

Recebemos o convite da Marinha do Brasil para visitar o Complexo Naval de Itaguaí nesta segunda-feira (4), onde poderíamos conferir o desenvolvimento do PROSUB, em especial do nosso primeiro submarino convencional, o SBR-01, o qual será batizado de "Riachuelo", dando nome a nova classe de submarinos convencionais brasileiros, e conhecer algumas particularidades do projeto, bem como do Programa Nuclear da Marinha (PNM). Lembrando que na próxima sexta-feira (8), a Marinha do Brasil realizará a cerimônia do lançamento da pedra fundamental do Reator Multipropósito Brasileiro e o primeiro acionamento de turbina no Laboratório de Geração Nucleoelétrica (LABGENE), no Centro Experimental de Aramar. 


Essa matéria feita em conjunto com "Canal Arte da Guerra", em breve terá sua complementação pelo vídeo do nosso parceiro, Cmte Robinson Farinazzo, que esta lapidando o material que produzimos e trará mais um trabalho fantástico para enriquecer nosso conhecimento e ampliar nosso horizonte com relação ao PROSUB.

Contra-Almirante Koga
Chegamos as 7hrs de uma manhã chuvosa ao 1º Distrito Naval, no centro do Rio de Janeiro, onde encontrarmos alguns amigos de outras mídias especializadas, e fomos conduzidos pela 1º Ten Vanessa, responsável por nossa visita ao complexo naval de Itaguaí. A viagem não demorou muito e por volta de 9:14 da manhã desembarcamos na UFEM (Unidade de Fabricação de Estruturas Metálicas), onde fomos recebidos pelo C Alte Koga, Cmte Borges, Cmte Paiva e a 1º Ten Gisele Costa. Um rápido coffee break antecedeu a palestra do C Alte Koga. Cabe ressaltar que o C Alte Koga é engenheiro e o gestor do programa de submarinos convencionais e nuclear, e nos deu um breve e objetivo resumo do avanço do programa de submarinos brasileiro e o programa nuclear da Marinha do Brasil, abordando um pouco do histórico do programa, o qual tem intima ligação entre o submarino convencional SBR e o SNBR, apontando importantes pontos sobre o programa, e que nos deu uma visão mais ampla da importância do programa não só para a Marinha do Brasil, mas para o Brasil e sua estratégia nacional de defesa.

O PROSUB é um programa que tem como primeiro passo a construção dos quatro submarinos convencionais SBR, que são um projeto desenvolvido pela NAVAL Group (Ex-DCNS), tendo por base os submarinos da Classe "Scorpéne" francesa, porém, com significativas modificações, o que leva a um novo submarino. Entra as modificações, a Marinha do Brasil entendeu que o mesmo não possuía a necessidade de incorporar o sistema AIP MESMA, tendo em seu lugar ampliado a capacidade de combustível e baterias, maior comprimento em relação ao projeto base e outros refinamentos, os quais somarão todo aprendizado e know-how acumulado para construir então o primeiro Submarino Nuclear Brasileiro (SNBR).

Nos foi apresentado através de slides os avanços do programa, onde em 2010 havia um terreno de terra batida, hoje existe efetivamente um complexo de construção naval, tendo sido estabelecido estrategicamente bem ao lado da NUCLEP, onde são construídas as seções resistentes do casco dos submarinos. O mesmo avanço é notável em relação a infraestrutura na área sul, onde uma grande área foi aterrada e hoje já temos o Estaleiro de Construção (ESC), o centro de simuladores, vários prédios e oficinas, um imenso canteiro de obras que segue em ritmo acelerado como pudemos conferir posteriormente com nossos próprios olhos, com a construção dos prédios que abrigarão as futuras instalações da base naval. O imponente Main Hall, onde é realizada a montagem final dos submarinos, sendo realizada a união das seções, o que dá a forma final ao submarino e sua montagem interna, instalação de sistemas e acabamento, contando com um moderno Shiplift que será responsável por lançar ao mar nossos submarinos. 

O C.Alte Koga também apresentou os desafios que representam o programa em todos seus aspectos, desde a concepção das parcerias e o programa que busca nacionalizar os sistemas dos submarinos, apresentando alguns cases. O vídeo que será lançado no "Canal Arte da Guerra", daremos mais detalhes sobre a palestra e um tour nos locais que nos foi permitido filmar e fotografar.

Após o fim da palestra, fomos conduzidos ao Main Hall da UFEM, onde do lado de fora já nos deparamos com dois componentes estruturais da seção de proa do SBR, provavelmente serão destinadas ao SBR2 "Humaitá", o qual nós conferimos o estagio de construção, que se dá em simultâneo com o SBR3 "Tonelero", ambos encontram-se praticamente na mesma fase de montagem, estando bastante adiantada a construção das seções de meia-nau e proa de ambos submarinos conforme podemos conferir nas imagens que fizemos. 

Saindo do Main Hall, embarcamos no ônibus que nos conduziu por um tour pela área sul, onde esta localizado o ESC e toda a área onde esta sendo construída a base naval. Me surpreendeu em especial o ritmo dos trabalhos, com centenas de pessoas trabalhando em diversas partes, apesar do Main Hall e o ShipLift já prontos e operacionais, toda a área é um enorme canteiro de obras,onde vemos uma rápido avanço na construção dos prédios que abrigarão as oficinas e instalações da base. 

Um momento muito importante desse tour, foi o desembarque no centro de simuladores, onde conhecemos o prédio onde já esta sendo finalizada a instalação dos simuladores da "Classe Riachuelo" e serão de suma importância para formação das tripulações que irão guarnecer os novos submarinos, com um centro extremamente moderno, dispondo de simuladores avançados, que vão desde a simulação da navegação do submarino, aos sistemas de gerenciamento. Cruzamos com muitos técnicos da NAVAL Group no local, trabalhando em conjunto com o pessoal da MB na instalação dos simuladores, os quais estão em fase avançada de instalação, devendo iniciar a formação da primeira tripulação do "S-40 Riachuelo" em outubro deste ano.

Mais uma vez embarcamos no ônibus, desta vez em direção ao ShipLift, onde fizemos algumas fotos e recebemos algumas informações, dentre elas sobre a capacidade de manutenir os Submarinos quando necessário na área externa ao Main Hall, onde será possível atender simultaneamente até dois submarinos dependendo da disponibilidade de material e pessoal, sendo dispostos na longitudinal. 

Ao lado do Main Hall, o ESC terá ainda a construção de dois diques, os quais serão destinados ao SNBR, e para atender as normas de segurança vigentes, estes deverão ser construídos sobre terreno rochoso, o que será um desafio, pois segundo o C.Alte Koga, as rochas estão a cerca de 30 metros abaixo do solo, e após essa escavação, o "buraco" deverá ser preenchido por concreto, além de várias outras especificações que tanto o dique, como o cais deverão atender afim de serem homologados para operação do SNBR.

Finalmente chegamos ao ápice de nossa visita, o Main Hall do estaleiro, onde foi possível ver de perto a evolução na construção do "Riachuelo", onde já se encontra com todas as seções de casco unidas e devidamente soldadas, tendo sido a última seção unida recentemente, pelas fotos podemos ver que uma imensa lona cobre o SBR1 próximo á meia-nau, medida adotada para que seja executada a pintura da seção soldada sem que o processo interfira nos demais em andamento no casco. Em nosso vídeo é possível acompanhar uma breve  explicação do C.Alte Koga  sobre o estagio de construção do S-40 "Riachuelo".

Algumas novidades no SBR que é interessante apresentar, dentre elas o fato de todas as válvulas poderem ser controladas remotamente, onde apenas em casos específicos ou de emergência serão feitos manualmente, sendo um grande avanço na automação. Outro ponto é em relação ao casco hidrodinâmico, que já esta recebendo o revestimento em fibra especial, o que irá garantir melhor performance ao SBR. 

Vimos muitos homens trabalhando em um ritmo frenético em todas as partes do submarino, e quando pensávamos que estava chegando ao fim nossa visita, eis que um grande presente nos foi dado, a oportunidade de conhecer o "Riachuelo" por dentro. Como crianças no parquinho, subimos alguns lances de escada nos andaimes ao redor do submarino até chegar a escotilha de acesso a seção onde serão as acomodações da tripulação, o acesso se deu por uma escada quebra-peito. 

Uma vez dentro do "Riachuelo" presenciamos o ritmo acelerado em que estão sendo conduzidos os trabalhos no interior do navio, ainda com muitos trabalhos de solda em andamento, a cablagem se espalhando pelos compartimentos, bem como os tubos e estruturas que começam a dar forma ao interior do "Riachuelo". Passamos pelo centro de comando do submarino, que esta ganhando forma ainda e seguimos até a proa, onde fica a praça de armas, ou manobra de torpedos, seção que esta em estagio avançado de montagem e já conta com os magazines de torpedos e grande parte dos equipamentos. Após algumas fotos, nos despedimos do "Riachuelo", com um sentimento de orgulho e ansiedade em ver o lançamento deste importante avanço em termos de tecnologia e capacidade.

É uma sensação muito boa ver o futuro próximo de nossa esquadra ganhando forma bem ali na nossa frente. A visita realmente nos surpreendeu. Após essa nossa visita ao interior do "Riachuelo", fomos conduzidos novamente a UFEM, onde tivemos almoçamos em companhia dos comandantes, conversarmos um pouco e tomamos conhecimento de algumas histórias interessantes, as quais em breve iremos compartilhar com vocês. Esta ali então encerrada nossa visita ao Complexo Naval de Itaguaí.

É realmente um programa de grande envergadura, que esta trazendo não apenas o ganho em termos tecnológicos á nossa Marinha, mas esta contribuindo para a economia local e gerando empregos. O que é mais importante, estamos vendo os frutos dos bilhões investidos no programa.

Só para termos uma ideia, foram gerados mais de 4.800 empregos diretos, outros 12,5 mil indiretos, cerca de 700 empresas de diversos setores da economia brasileira estão envolvidas no programa, 18 centros de pesquisa e universidades participam do PROSUB, além da capacitação no exterior de centenas de técnicos e engenheiros que irão disseminar esse aprendizado aqui no nosso país, representando um importante ganho.

Essa nossa visita será objeto de outras duas matérias que virão em continuidade, somadas ao vídeo que deverá entrar no ar na próxima quarta-feira (6). 

Quero agradecer imensamente em nome do GBN News e do "Canal Arte da Guerra" ao pessoal do CCSM pelo convite e toda atenção com que somos sempre atendidos por esses profissionais ímpares das nossas forças armadas, e principalmente a toda equipe que nos recepcionou e conduziu a visita na UFEM, ESC e no Centro de Simuladores, estendendo este agradecimento a todos que hoje estão envolvidos no programa, não apenas na construção dos submarinos diretamente, mas a cada um dos que estão trabalhando nos canteiros de obra do complexo naval, nas empresas que participam do programa dentro e fora do complexo, e gostaria de dizer que vocês não estão construindo simplesmente prédios, ou "apenas" submarinos, mas sim a história desse país, e não se enganem, cada parafuso colocado e cada gota de suor que vocês derramam, movem esse gigante que se chama Brasil, muito obrigado.

Já estou ansioso pelo dia 12 de dezembro, quando estarei novamente no Complexo Naval de Itaguaí, para comemorar o lançamento do S-40 "Riachuelo"


Por Angelo Nicolaci - Jornalista, editor do GBN News, graduando em Relações Internacionais pela UCAM, especialista em geopolítica, especialista em assuntos de defesa e segurança.




GBN News e "Canal Arte da Guerra" - A informação começa aqui




Share this article :

1 comentários:

 

GBN News - GeoPolítica Brasil Copyright © 2012 Template Designed by BTDesigner · Powered by Blogger