terça-feira, 26 de junho de 2018

Airsoft: O esporte radical militar - Parte I

Muitos entusiastas da arte militar, e mesmo muitos militares, ex-militares, como integrantes das forças de segurança públicas, são adeptos do esporte que envolve adrenalina, técnica, estratégia e trabalho em equipe, estamos falando do Airsoft, esporte que emprega simulacros muito fieis as armas originais e que tem atraído muitos adeptos no Brasil e no mundo. Nosso colaborador Augusto Cesar Peixoto Vianna", o "Guto Vianna", é adepto deste esporte e nos trás um artigo muito interessante sobre  esporte, onde realizou uma meticulosa pesquisa afim de dirimir as dúvidas de nossos leitores com relação ao esporte e sua prática no Brasil. Confiram abaixo a primeira parte dessa série sobre o Airsoft:

Vamos explicar melhor, os praticantes de Airsoft buscam realismo em suas partidas, deste modo as partidas são elaboradas e com missões específicas, de acordo com o nível de combate desejado e a experiência dos praticantes envolvidos.

Nosso artigo será divido em partes, onde iremos seguir essa ordem: Modalidades, Tipos de Guerreiros, Tipos de Armas e opcionais, Segurança e por fim a Legislação. Tudo isso você irá conferir conosco aqui no GBN News, onde o "Guto Vianna" vai apresentar cada uma destes tópicos, um trabalho de pesquisa que nos dará um visão mais clara do esporte que vem se aperfeiçoando e profissionalizando cada vez mais.

MODALIDADES DE PARTIDAS:


Os jogos são compostos por duas ou mais equipes, vencendo a equipe que conseguir cumprir seu objetivo primeiro, existindo uma infinidade de objetivos em uma infinidade de terrenos diferentes, vejam as variantes mais comuns:


CAPTURA DA BANDEIRA OU QUARTEL GENERAL

É uma disputa entre, no mínimo, dois grupos, que estão em lados opostos do terreno, que pode ser uma área de mata dentro de uma fazendo, por exemplo, nenhum dos grupos sabe onde está o Quartel General ou a bandeira dos demais, portanto há a figura do batedor que vai a frente reconhecendo o terreno e, tentando não ser descoberto, detectar os Guerreiros inimigos que fazem a contenção da área, tanto na modalidade Captura do Quartel General quanto na de Captura da Bandeira inimiga, os alvos têm que estar à vista na base inimiga e são comumente protegidos por atiradores experientes, quase sempre SNIPERS. a finalidade da partida é, ou conseguir capturar e trazer a bandeira inimiga ate sua base ou simplesmente capturar o Quartel General inimigo dizimando suas defesas ou utilizando-se de algum ardil, cabe dizer que se o Guerreiro que está capturando a bandeira for atingido em seu caminho de volta a sua base, a mesma é devolvida ao inimigo.


CONQUISTAR A BANDEIRA



Muito similar a variante anterior, há somente uma diferença, é que a Bandeira é somente uma e está equidistante de todos os grupos, também em local bel visível, quase sempre no meio do terreno escolhido para a partida e, todos sairão a campo visando capturar a bandeira e levá-la até sua própria base, outra diferença fundamental é, que neste caso, se o Guerreiro for atingido, a bandeira pode ser pega no local em que foi deixada, sem que haja a necessidade de que ela retorne ao centro do campo.


ÚLTIMO HOMEM


Esta variante é o conhecido MATA-MATA, sendo o vencedor justamente o último Guerreiro que restar sem ser atingido e a área de jogo é limitada, podendo também ser limitado o tempo máximo da partida que já é pré-definido pelos participantes.




ZUMBIS

Também variante do MATA-MATA só que com uma dificuldade a mais, pois cada Guerreiro atingido sai do campo e vai para uma área chamada “ZONA DE RESSURREIÇÃO” na qual se transforma em Zumbi e volta ao campo de batalha, porém desarmado e usando OBRIGATÓRIAMENTE, máscara facial completa, equipamento este que protege totalmente a cabeça que será o alvo a ser atingido pelos Guerreiros não Zumbis, este tipo de variante termina por tempo pré-determinado ou se todos forem atingidos e se transformarem em Zumbis.


MATA-MATA EM EQUIPE


Esta variante é igualzinha a anterior porém em equipe, na qual uma equipe luta contra a outra, com o objetivo de eliminar o time adversário, também é comum limitar-se o tempo da partida.





REI DA COLINA

Variante na qual um grupo de Guerreiros é divido em três grupos menores, sendo que um destes grupos, no caso um terço 1/3 é responsável por montar e defender um ponto forte no qual estará a bandeira, não necessariamente em uma colina de verdade, mas como a maior parte dos jogadores já é adepta da modalidade conhecida como MilSim (Military Simulation) ou “Simulação Militar”, sempre que possível o forte será mesmo em uma colina em região de mata, já o grupo composto pelos restantes dois terços 2/3 de Guerreiros, tem como missão atacar, deste modo, seus batedores primeiro levantarão os pontos fortes e os pontos fracos da contenção inimiga e a partir de se reconhecimento o grupo atacante iniciará sua ofensiva buscando capturar a bandeira ou eliminar todos os defensores.


TRAIDOR

Variante em que se formam dois grupos, antes da partida os organizadores, de modo discreto, escolhem dois Guerreiros de cada grupo, aos quais são dadas bolachas dos dois grupos, os grupos serão informados antes da batalha que haverá um traidor infiltrado dentro do grupo, É EXPRESSAMENTE PROIBIDO revistas nos Guerreiros, a batalha começa, porém após cinco (05) minutos, o traidor pode mudar de time a qualquer momento que ele desejar, simplesmente tocando a bolacha de seu braço e atacando.


CAÇADA

Esta variante é literalmente o que se diz ser, um Guerreiro voluntário é a caça, que recebe somente uma pistola e pequena quantidade de munições, porém tem a vantagens de sair na frente, pelo menos uns quinze (15) minutos antes e encontrar um local o mais longe possível do ponto de partida com boa visada e de fácil defesa, porém ele tem que chegar a um ponto pré determinado do terreno para que vença, esta variante tem tempo limitado, mesmo que não seja atingido, mas ultrapasse o limite de tempo a presa perde.


CAÇADORES DE CABEÇA

Esta é uma variação da anterior, porém, cada Guerreiro está por sua conta e possui uma identificação individual, quando os organizadores derem o OK, todos os Guerreiros se espalham pelo terreno, de preferência local de mata para maior realismo, quando um Guerreiro consegue abater outro, ele retira a identificação e a guarda consigo e a batalha também tem tempo limitado, ao final do tempo o guerreiro que tiver mais identificações de Guerreiros abatidos vence.


ABATER O MÉDICO

Variante na qual cada grupo tenta abater o Médico do outro, pois ele é o único participante da equipe que tem poder de reviver um jogador já abatido, o Guerreiro atingido permanece no local em que foi “baleado” e grita pelo médico que, por sua vez, precisa ir até o participante e trazê-lo de novo à partida, enquanto isso, os Guerreiros inimigos tentam detectar e identificar e abater o médico do grupo adversário, sem deixar de levar em consideração que a quantidade de munição que dispõem é limitada.


VIP’S

Variante na qual um grupo grande pega seu “pessoal de Forças Especiais” que sempre é mínimo, no máximo quatro (04) Guerreiros, porém formado por pessoal mais experiente e melhor equipado, para escoltar um ou mais VIP’S (pessoas muito importantes) há um local e tempo pré-determinado, enquanto um grupo muito maior tenta ou eliminar todos os VIP’S ou todos os integrantes das Forças Especiais, há também uma variante igualzinha, só que se invertem as posições, no caso serão as Forças Especiais que terão a missão de abater ou todos os VIP’S ou todos do grupo de escolta dos mesmos que é sempre em maior quantidade de Guerreiros.


VALE DA MORTE

Esta variante é jogada do seguinte modo todo o grupo se reúne e é escolhido um quinto 1/5 de seus integrantes para atravessar uma zona vigiada pelos demais quatro quintos 4/5 dos participantes, cabe dizer que este time menor só pode utilizar pistolas, rifles de Sniper e Escopetas, enquanto o grupo maior poderá usar a arma que desejar, se um Guerreiro for capaz de passar pela área guardada pelo oponente é considerado vitorioso, deste modo entende-se porquê esta variante nunca passe do tempo máximo de 30 minutos.

O resto é dar corda a imaginação, pois cenários passiveis de se jogar não faltam, estão aí os confrontos bélicos pelo mundo e em alguns estados também, pode-se jogar infiltração a fim de plantar uma “Bomba”; Infiltração, localização e resgate de prisioneiros de base inimiga; infiltração, localização e destruição de material bélico inimigo (sítios de radar, baterias antiaéreas, etc), Paraquedistas, etc, a imaginação do Grupo é o limite.

Todas as variações de batalhas acima descritas, podem ser feitas tanto em área de mata, o que em certas variantes, dá mais realismo a batalha, já outras variações requerem áreas urbanas ou semelhantes, tais como construções, por exemplo uma casa grande com diversos cômodos, prédios abandonados, ou local com diversas casas, de modo que se assemelhe a uma “Favela” o que dá mais realismo à batalha.


Por: Augusto Cesar Peixoto Vianna - Colaborador do GBN News, formado em História pela UFF e pós-graduado em História Militar pela UNIRIO, adepto do Airsoft

GBN News - A informação começa aqui


Share this article :

0 comentários:

Postar um comentário

 

GBN News - GeoPolítica Brasil Copyright © 2012 Template Designed by BTDesigner · Powered by Blogger