quinta-feira, 2 de março de 2017

Argentina questiona o Brasil sobre voos da RAF entre as Ilhas Malvinas e o Brasil

A Argentina questionou o Brasil sobre vôos realizados pela Força Aérea Britânica entre aeroportos brasileiros e as Ilhas Falkland nos últimos dois anos, pedindo novamente ao Brasil que não receba aviões ou navios britânicos das ilhas em disputa.
"A Direção Nacional de Controle de Tráfego informou que durante 2016 pelo menos seis vôos militares foram feitos pela Força Aérea Britânica entre os aeroportos brasileiros e Mount Pleasant", disse uma declaração do governo argentino ao Ministério das Relações Exteriores na última quarta-feira (1).
Mount Pleasant, é uma estação da RAF nas Ilhas Malvinas, e abriga mais de mil militares e civis. Quatro caças Typhoon estão baseados permanentemente na ilha.

O ministério pediu à Embaixada da Argentina no Brasil "que realize negociações com o Ministério das Relações Exteriores para transmitir a preocupação argentina sobre a situação".

"O Ministério das Relações Exteriores do Brasil reafirmou seu apoio a nosso país na questão das Malvinas e disse que não tinha conhecimento desses vôos"
 , afirmou. A Argentina voltou a pedir ao Brasil que "não receba em seus aeroportos e portos" qualquer avião ou navio britânico oriundo o com destino as "ilhas disputadas".

O Ministério de Relações Exteriores de Buenos Aires acrescentou que durante 2015 houve 12 vôos militares similares entre o Brasil e as Malvinas detectados pela Força Aérea Argentina.

As Ilhas Falkland são autônomas, mas o Reino Unido é responsável pela sua defesa e assuntos externos. A disputa territorial com o Reino Unido chegou a culminar na guerra das Malvinas ou Falklands em 1982, e que durou cerca de 74 dias, com a Argentina invadindo e ocupando momentaneamente as ilhas situadas no sul do Oceano Atlântico. O governo argentino afirma que herdou as Ilhas Falkland, que ficam a cerca de 483 km da costa leste, depois que conquistou a independência da Espanha no século 19, enquanto Londres afirma que tem administrado continuamente o território desde 1833.

A base de Mount Pleasant foi aberta em 1984 para estabelecer uma presença militar permanente, contando com caças e aeronaves de transporte nas Ilhas após a "Guerra das Malvinas/Falklands".

A base conta com meios de defesa aérea, capacidade de patrulha marítima e forças de infantaria. Há também desdobramentos navais regulares à região e desdobramentos temporários para exercícios de rotina, além de atualmente contar com 4 aeronaves de caça Eurofighter Typhoon.

A Argentina adotou uma abordagem mais cautelosa com o atual presidente Mauricio Macri, que foi eleito em 2015. Em setembro, os países acordaram uma série de acordos que abrangem petróleo, pesca, navegação e comércio dentro e no entorno das ilhas.

No entanto, em outubro de 2016 Buenos Aires apresentou uma queixa oficial ao embaixador da Grã-Bretanha sobre os exercícios militares que ocorreram nas Malvinas. Tropas britânicas foram desdobradas para as ilhas em outubro, onde realizaram testes envolvendo mísseis Rapier.

Centenas de argentinos juntaram-se aos protestos contra os exercícios militares britânicos nas Ilhas Malvinas/Falkland, incendiando bandeiras  na porta da embaixada britânica em Buenos Aires.

Em dezembro, ambos os países assinaram um acordo para identificar os mortos restantes do seu breve mas sangrento conflito da Guerra das Malvinas.

GBN seu canal de informações e notícias
com agências

1 comentários:

Brasil se envolvendo com a Inglaterra para prejudicar a Argentina . Triste Brasil fugindo da OEA.

Postar um comentário