quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Tanques e soldados dos EUA na Polônia ameaçam Rússia

A Rússia considera a mobilização de tanques e outros veículos militares dos EUA, juntamente com o pessoal do exército, como uma ameaça à sua segurança e interesses nacionais, disse o secretário de imprensa do Kremlin, Dmitry Peskov.

"Nós vemos isso como uma ameaça. Estas ações constituem uma ameaça aos nossos interesses e à segurança ", disse Peskov aos jornalistas nesta quinta-feira (12), sublinhando " especialmente quando um país reforça a sua presença militar em um terceiro ao longo das nossas fronteiras com a Europa ".

"E nem sequer é um país europeu" , acrescentou.

Oitenta e sete carros de combate, 144 veículos de combate Bradley e mais de 3.000 soldados estão a caminho da Alemanha para a Polônia. Uma cerimônia oficial que irá marcar a chegada dos militares norte-americanos estava marcada para  hoje (12).

As brigadas serão desdobradas principalmente na parte ocidental da Polônia, mas foram planejadas manobras que devem ser conduzidas em todo o país.

Após os exercícios militares, os soldados serão distribuídos entre a Polônia, Bulgária, Romênia e os países bálticos. Uma unidade será estacionada na Alemanha.

A chegada de equipamento e pessoal militar americano na Polônia é mais um passo do empreendimento militar em grande escala que os EUA lançaram em abril de 2014, logo após a Crimeia votar para se juntar à Rússia, como demonstração de " segurança coletiva da Europa ".

A OTAN descreve o acúmulo ao longo das fronteiras da Rússia como uma medida defensiva justificada pelo alegado envolvimento de Moscou na crise ucraniana.

Peskov salientou que "qualquer país pode e vai tomar o acúmulo de presença militar estrangeira ao longo de suas fronteiras negativamente."

- É exatamente assim que tomamos - disse Peskov.

"Seja mil ou dez mil soldados, é tudo o mesmo. Isso é um acúmulo de presença militar e não tenho nada a acrescentar", concluiu, depois de ter sido questionado se a nova mobilização dos EUA representava uma ameaça real ou era simplesmente irritante para a Rússia.

A Rússia tem repetidamente chamado os movimentos do bloco de agressivo, enquanto salienta que eles estão minando a segurança na Europa. Em resposta, Moscou tem conduzido exercícios militares em larga escala em seu próprio país e estacionou seus armamentos e armas mais modernos em suas fronteiras ocidentais, inclusive na região de Kaliningrado, que está entre a Polônia e a Lituânia, não muito distante da Europa Ocidental.

GBN seu canal de informação e notícias
com agências

0 comentários:

Postar um comentário