terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Rival japonês da Embraer, MRJ só estreia em 2020

A Mitsubishi Aircraft Corporation anunciou nesta segunda-feira (23) que a primeira entrega do jato MRJ90, antes prevista para 2018, foi adiada para o segundo semestre de 2020. Segundo a fabricante japonesa, a mudança no cronograma ocorreu devido a necessidade de “revisão em determinados sistemas e configurações elétricas da aeronave para atender os requisitos de certificação”. Esse já o quinto atraso no programa de desenvolvimento da aeronave.
A primeira entrega do MRJ (Mitsubishi Regional Jet), cujo desenvolvimento foi iniciado em 2003, era originalmente planejada para o primeiro trimestre de 2014. No entanto, devido aos atrasos, o primeiro voo da aeronave aconteceu somente em novembro de 2015. Até o momento, a fabricante japonesa construiu quatro protótipos do MRJ90, sendo que três deles estão voando nos Estados Unidos, onde a maioria dos testes é realizado – outros dois modelos, também para ensaios de voo, estão sendo fabricados no Japão.
O primeiro cliente dos jato japonês será a companhia aérea All Nippon Airways (ANA), do Japão. A companhia já encomendou 10 unidades do MRJ90, versão concebida para transportar de 81 a 92 passageiros e com alcance de até 3.770 km. A outra versão, o MR70, com espaço para até 80 ocupantes e autonomia de 3.740 km, ainda não tem nenhum interessado. Ao todo, a Mitsubishi recebeu 243 pedidos firmes pela aeronave – e opção para mais 204 exemplares.
O MRJ é o primeiro avião comercial com motores a jato desenvolvido no Japão (não confundir com o HondaJet, uma aeronave de transporte executivo). A última vez que indústria japonesa se aventurou na aviação comercial foi com o bimotor turbo-hélice NAMC YS-11, produzido entre 1962 e 1974.
No Brasil, o YS-11 ficou conhecido como “Samurai”, onde voou com as cores da antigas companhias aéreas Cruzeiro do Sul e VASP.

Fonte: Airway via Notimp

0 comentários:

Postar um comentário