segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Fuzileiros Norte americanos desembarcam na Noruega e aumentam tensão com a Rússia

Quase 300 fuzileiros norte-americanos chegaram na Noruega nesta segunda-feira (16). O desdobramento indica o abandono da política de décadas do membro da OTAN de não estacionar tropas estrangeiras em seu território.

O acordo para estacionar as tropas americanas durará pelo menos um ano. O contingente que veio esta semana será substituído em regime de rotação em seis meses. Os fuzileiros navais serão mobilizados na base de Vaernes perto de Trondheim, a terceira maior cidade da Noruega.

O objetivo declarado da missão é treinar as tropas dos EUA na guerra ártica.

"Durante as primeiras quatro semanas terão treinamento básico de inverno, aprenderão a lidar com esquis e sobreviver no ambiente ártico", disse Rune Haarstad, porta-voz da Home Guard, citada pela Reuters. "Não tem nada a ver com a Rússia ou com a situação atual".

Em março, os fuzileiros participarão dos exercícios conjuntos Viking, que também incluirão as tropas britânicas, acrescentou.

Tanto a Noruega quanto os Estados Unidos negam a ideia de que a missão se destine a irritar a Rússia como parte da campanha mais ampla da OTAN para se opor à chamada "agressão russa" na Europa, enviando tropas e armas adicionais para a fronteira russa.

Membro fundador da aliança, a Noruega prometeu não mobilizar forças estrangeiras para dissipar as preocupações de Moscou de que poderia servir de plataforma para um ataque surpresa. Durante décadas, o país escandinavo armazenou maciços estoques de armas em preparação para um possível conflito, mas apenas permitiu tropas de outros aliados para fins de treinamento.

Oslo descarta a ideia de que a mobilização vai contra o antigo compromisso, dizendo que as tropas americanas seriam rotativas ao invés de permanentes. A OTAN rotineiramente aplica o mesmo raciocínio a todos os seus desdobramentos na Europa Oriental como uma forma de contornar o acordo da aliança com a Rússia, que proíbe o desdobramento permanente de forças "significativas" perto da Rússia.

O Corpo de Fuzileiros Navais dos Estados Unidos elogiou os benefícios práticos de uma mobilização em tempo integral como a razão para o movimento.

Quando a implantação rotativa de fuzileiros navais dos EUA na Noruega foi confirmada no ano passado, a Rússia disse que estava intrigada por ela.

"Tendo em conta várias declarações de funcionários noruegueses sobre a ausência de ameaça da Rússia à Noruega, gostaríamos de entender para que fins a Noruega está tão disposta a aumentar seu potencial militar, em especial através do destacamento de forças americanas em Vaernes? Disse a embaixada russa no momento.

Noruega e Rússia compartilham uma pequena fronteira terrestre no norte. A base de Vaernes está localizada 1.500 quilômetros a partir de qualquer parte da Rússia, mas o programa de treinamento Arctico envolve viajar mais perto dele.

GBN seu canal de informação e notícias
com agências

0 comentários:

Postar um comentário