sexta-feira, 22 de julho de 2011

Exército testa foguetes balísticos no Campo de Instrução de Formosa


O Comando do Exército fez nesta quinta-feira (21/7) três lançamentos de foguetes balísticos, com alvos terrestres predeterminados, no Campo de Instrução da Força, no município goiano de Formosa. São artefatos desenvolvidos pelo Exército Brasileiro em conjunto com a Avibras Indústria Aeroespacial. Os foguetes podem atingir alvos até 90 quilômetros de distância. Modelos semelhantes já foram exportados pela empresa à Malásia, rendendo divisas de 219 milhões de euros.

O general Sinclair Meyer, responsável pelo Departamento de Ciência e Tecnologia do Exército, disse que apenas os Estados Unidos criaram modelos de foguetes desse tipo, mas com maior capacidade de alcance, podendo atingir alvos até 300 quilômetros de distância.

Segundo o general, o país já trabalho para ampliar o alcance de seus foguetes, mas, para isso, necessita de recursos a fim de fazer pesquisas e desenvolver novos projetos. Esses artefatos diferem de um míssil, de acordo com Meyer, porque têm trajetória definida a partir do impulso que recebe, já o míssil é guiado e pode ter sua trajetória controlada.

Para o general Visconte Paz, do Departamento de Produtos de Defesa do Comando do Exército a demonstração, que teve as presenças do vice-presidente da República, Michel Temer, e do ministro da Defesa, Nelson Jobim, foi feita para aproveitar "o tempo de validade do combustível sólido que impulsiona os foguetes e para mostrar às pessoas que têm poder decisório a importância de conhecerem o funcionamento do sistema". O general disse ainda que a evolução da tecnologia nacional, nesse setor, depende de mais recursos e que a Defesa "está determinada a trabalhar por isso, já que se trata de setor estratégico e que pode também ser um nicho para o país no mercado internacional".

Para o vice-presidente Michel Temer, a demonstração feita com os foguetes balísticos "é compatível com a situação de crescimento que o Brasil está vivendo". "Um país que quiser se ombrear com as nações mais desenvolvidas tem que ter instrumentos de defesa tecnicamente muito aperfeiçoados. Este é o desejo das Forças Armadas, do ministro Jobim e de todos nós", disse, prometendo que será "um advogado da causa por mais investimentos para o desenvolvimento de tecnologia militar".

O ministro Nelson Jobim declarou que o Exército, junto com a Avibras, "quer continuar desenvolvendo a tecnologia na área militar porque temos um acervo tecnológico que não pode ser perdido". Ressaltou que os foguetes usados na demonstração de hoje foram feitos a partir de tecnologia exclusivamente brasileira. Segundo o ministro, há interesse mundial na aquisição de equipamentos bélicos fabricados pela Avibrás, que caminha para a tecnologia digital.

Fonte: Correio Braziliense

Nota do BLOG: Durante a LAAD2011 nós pudemos ver o desespero da Avibrás para conquistar investidores, afinal a empresa que é uma das mais avançadas em tecnologia de defesa no Brasil esta atravessando uma séria crise, correndo o risco de fechar, porém o governo tem demonstrado muito interesse de manter viva esta empresa estratégica.

Nós do GeoPolítica Brasil e nossos parceiros que estiveram cobrindo a LAAD2011, só lamentamos pela falta de atenção prestada por esta empresa ás midias que pretendiam realizar materias especiais no evento sobre esta empresa brasileira, deixando assim de aproveitar a oportunidade de expor ainda mais seus produtos e qualidades ao mercado de Defesa, o qual em boa parte acompanha nossas mídias alternativas, saliento aqui ainda que somos uma fonte emergente de opinião que ja tem sido acompanhada por muitos ramos da Defesa no Brasil e no mundo como uma atraente fonte de investimentos em propaganda e marketing de seus produtos e serviços.
Share this article :

5 comentários:

  1. Fala kamarda Ângelo e kamaradas...

    Uma belíssima notícia para a indústria bélica nacional.

    Vejo quatro pontos interessantes sobre a Avibrás na matéria e no comentário do Blog:

    1°)É notório perceber q assuntos de Defesa estão na pauta da mídia;

    2°)É notória a presença de líderes políticos em eventos da Defesa;

    3°)É notória a preocupação de nossos líderes políticos qnto aos interesses geopolíticos nacionais q envolvem o reaparelhamento de nossas forças militares;

    4°)É uma pena q a Avibrás faça pouco caso da mídia dita alternativa. Mas a Avibrás tbm faz pouco caso dela, haja visto seu "simplório" site.

    Falow

    ResponderExcluir
  2. Angelo D. Nicolaci23 de julho de 2011 06:42

    Camarada Fabrício,

    Gostaria que justifica-se o quarto ponto que apresentou aqui, onde você define o nosso trabalho como simplório.

    Pois durante a LAAD2011 não foi apenas os associados ao UNION que não obtiveram atenção da AVIBRÀS, mas outros meios também, dentre eles jornais impressos.

    Não vou tomar como insulto sua classificação como simplória de nosso site, porém vale ressaltar a credibilidade que possuímos e o crescimento obtido em um período tão curto desde sua criação, além do fato de varios outros blogs tidos como elite nos copiarem em relação a nossa abordagem, uma vez que quando da criação deste pouco se falava em geopolítica e muitos deram de ombros quando este começou, subestimando o alcance e a seriedade que este trabalho possui.

    Hoje nós do GeoPolítica Brasil temos orgulho de nosso status e posicionamento, além de possuir leitores ilustres e diversas empresas em fase de negociação para no próximo ano fazer parte deste projeto, que o amigo definiu como "símplório".

    ResponderExcluir
  3. Angelo D.Nicolaci23 de julho de 2011 06:53

    Resumindo não somos ingênuos, muito menos sem malícia, apenas possuimos uma forma de abordar os temas de maneira a fazer os nossos leitores criarem sua própria perspectiva, buscamos não injetar nossa posição para não macular o objeto principal deste meio de comunicação que estamos desenvolvendo, a transparência e uma postura responsável ao realizar nossas abordagens.

    Afinal nosso objetivo é fazer com que nossos leitores criem suas concepções com base em fatos e não em achismos ou matérias manipuladas como faz a mídia dita marrom.

    Um abraço e espero que não leve a mal o comentário.

    ResponderExcluir
  4. Fala kamarada Angelo...

    Kamarada...ñ pense isto de mim...

    Foi apenas um mal entendido gramatical! Como estava referindo-me a Avibrás, o pronome "seu" refere-se a Avibrás.

    Já rasguei elogios ao seu Blog e continuarei fazendo-o. Qndo quero me informar de assuntos geopolíticos, o seu Blog é o primeiro em q bebo da fonte.

    Vou tentar deixar mais claro minha colocação:

    4°)É uma pena q a Avibrás faça pouco caso da mídia dita alternativa. Mas a Avibrás tbm faz pouco caso dela, haja visto "simplório" site da Avibrás.

    E qndo digo simplório...refere-se a baixa qualidade artística e a falta de informações, fotos... material em geral de seus produtos... sem contar o fator interatividade q deixa muito a desejar.

    Coloco isto como uma crítica construtiva a ela. Nós -o povo brasileiro- temos o direito de ter acesso a informações qnto aos produtos e rumos da Avibrás mais do q nunca, visto q nosso dinheiro está sendo utilizado p/ sanar a saúde financeira desta.

    Falow

    ResponderExcluir
  5. Angelo D. Nicolaci25 de julho de 2011 16:22

    Grande Fabricio,

    Desculpe pelo mal entendido, agora compreendi o que você quis dizer.

    Concordo contigo em relação a Avibrás, e espero que a empresa venha a adotar um novo rumo em breve para se manter no mercado.

    Obrigado e conto com sua participação aqui meu amigo,

    Abraços

    ResponderExcluir

 

GBN Defense - A informação começa aqui Copyright © 2012 Template Designed by BTDesigner · Powered by Blogger