terça-feira, 17 de abril de 2018

"Coração de Ferro"- O dia que um KV-1 soviético massacrou uma coluna Panzer alemã

Em 18 de agosto de 1941, um único tanque soviético, o KV-1 número 864, comandado pelo Tenente Kolobanov, escreveria nas páginas da história um confronto épico, digno de ser retratado por filmes de Hollywood.

O confronto teve lugar as margens da única rodovia que separava Krasnogvardeysk das forças Pazers alemãs que avançavam rumo a Leningrado. Nesta ocasião o KV-1 de Kolobanov ficou entrincheirado e camuflado a beira da rodovia, onde tinha ordens para defender a rodovia para Kinigsep, onde compunha uma pequena força composta por mais quatro KV-1 que tinham sido espalhados pela região com a missão de defender outras duas rodovias, todos os blindados tinham recebido o dobro da munição padrão, contando com 2/3 de munição Anti-blindagem, capaz de atravessar o casco dos Panzers alemães.

Havia a informação de que a 8ª Divisão Panzer alemã conduziria uma ofensiva por aquela rodovia, o KV-1 de Kolobanov se posicionou em uma excelente posição, oculto entre as árvores de uma colina, de onde tinha visão do entroncamento na rodovia que ficava num nível abaixo da sua posição, onde os alemães estariam cercados por uma área pantanosa. A espera elevava a tensão da tripulação, mas no dia seguinte, uma força de reconhecimento alemã finalmente chegava ao local, contando com motocicletas, um meia-lagarta e um caminhão leve, Kolobanov resolveu não atacar a diminuta força, mantendo sua posição oculta do inimigo, porém passados cinco minutos da passagem da força de reconhecimento, Kolobanov se deparou com a esperada coluna, que contava com nada menos que 43 panzers alinhados em fila, então ao entrarem pelo entroncamento chegava o momento esperado por Kolobanov que deu a ordem ao seu artilheiro Andrej Usov para iniciar o ataque que se tornaria em verdadeiro massacre.

O primeiro disparo do KV-1 de Kolobanov atingiu em cheio o primeiro panzer da coluna, incendiando o blindado, o que levou inicialmente os alemães pensarem se tratar de uma mina anti-tanque, Andrej Usov realizou mais dois disparos contra o segundo tanque da coluna que foi destruído, o caos então tomara conta das forças alemãs que a essa altura descobriram estar sendo atacadas, o que levou as mesmas a disparar a esmo em várias direções sem saber até então de onde partiu os disparos, então Kolobanov ordenou que Andrej Usov disparasse no ultimo tanque da coluna, o disparo atingiu em cheio o último panzer, os alemães ficaram bloqueados sem ter como avançar ou recuar sua força, e não conseguiam localizar o KV-1 soviético, na confusão da tentativa de sair do local, diversos tanques alemães acabaram adentrando a área pantanosa e terminaram imobilizados, o que os transformou em alvos fáceis para o KV-1 solitário de Kolobanov, em cerca de 30 minutos Kolobanov e sua tripulação destruíram 22 panzers.

Kolobanov com sua tripulação
O KV-1 acabou tendo sua posição descoberta pelos alemães, que revidaram abrindo fogo pesado contra ele, porém mesmo atingido por vários disparos, os impactos da munição alemã não conseguiram atravessar a espessa couraça do pesado tanque soviético, mesmo sem conseguir destruí-lo, os alemães impuseram um duro combate à tripulação soviética, pois o som dos impactos contra o casco blindado do KV-1 era terrível, apenas um dos disparos dos panzers conseguiu danificar o sistema de giro da torre, o que obrigou Kolobanov a sair da trincheira com seu KV-1 para conseguir engajar os alvos, o que só foi possível movimentando o tanque, para piorar o cenário a tripulação soviética percebeu que dois canhões auto-propulsados se posicionavam no entroncamento, a decisão imediata de Kolobanov foi atacá-los, o primeiro disparo de Andrej Usov tirou um dos canhões de ação, mas o outro conseguiu atingir o KV-1 danificando seu periscópio, os soviéticos corajosamente revidaram o fogo e destruíram o segundo auto-propulsado, após esgotar a munição a bordo, Kolobanov contatou seus superiores que tinham outros três KV-1 nas proximidades, cientes da situação em que se encontrava, o comando do exército soviético imediatamente enviou reforços e  após dar as devidas congratulações a Kolobanov e sua tripulação, ordenou que o mesmo se retirasse do local. Os outros três KV-1 assumiram a posição e destruíram mais 21 panzers.


Estado do KV-1 864 de Kolobanov após o confronto
Ao todo, foram destruídos 43 panzers e dois canhões auto-propulsados alemães. O KV-1 864 de Kolobanov foi atingido por 156 disparos, mas nenhum dos impactos conseguiu penetrar na blindagem, Kolobanov foi condecorado com a “Ordem da Bandeira Vermelha” e Andrej Usov recebeu a “Ordem de Lênin”.

A vitória soviética foi o resultado do excelente planejamento de Kolobanov, que fez uso da posição em terreno vantajoso e soube aproveitar a vantagem conferida pela superioridade da arma que possuia. A maioria dos tanques alemães naquela batalha eram tanques leves armados apenas com armas de 37 mm. O armamento dos tanques alemães não tinham nem o alcance nem a potência necessária contra a arma principal de 76 mm do KV-1 de Kolobanov. As esteiras mais estreitas dos tanques alemães fizeram com que ficassem presos no terreno pantanoso que cercava a rodovia.

Kolobanov com sua família

Zinoviy Kolobanov chegou aos posto de capitão, onde foi novamente condecorado pelas autoridades soviéticas, apesar de ter sido condenado e rebaixado após "confraternizar com o inimigo". Em 15 de setembro de 1941, ele foi gravemente ferido na cabeça e na espinha perto de Pushkin, em São Petersburgo, então praticamento o resto da guerra no hospital. Após o fim da Segunda Guerra Mundial, Kolobanov foi enviando para servir na zona de ocupação soviética na Alemanha Oriental , onde foi submetido à corte marcial quando um dos seus subordinados fugiu para a zona de ocupação britânica. Depois desse ocorrido ele foi transferido para uma base na Bielorrússia, onde permaneceu no exército por alguns anos e se aposentou como tenente-coronel.

Ao longo de sua carreira Kolobanov conquistou importantes honrarias, tendo recebido ainda mais uma “Ordem da Bandeira Vermelha”, uma "Ordem da Guerra Patriótica de 1ª classe", "Ordem da Estrela Vermelha", "Medalha por Mérito de Batalha", "Medalha pela Defesa de Leningrado" e "Medalha pela Vitória sobre a Alemanha na Grande Guerra Patriótica 1941-1945" dentre outras. Com certeza Kolobanov é um herói que merece seu lugar na história das guerras.

Por Angelo Nicolaci - Jornalista, editor do GBN News, graduando em Relações Internacionais pela UCAM, especialista em geopolítica do oriente médio, leste europeu e Rússia, especialista em assuntos de defesa e segurança.



GBN News - A informação começa aqui
Share this article :

0 comentários:

Postar um comentário

 

GBN News - GeoPolítica Brasil Copyright © 2012 Template Designed by BTDesigner · Powered by Blogger