sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Apoio Aéreo Aproximado - A-29 a solução contra o terrorismo

A luta contra os grupos terroristas em especial aos radicais islâmicos realmente nos levou a necessidade de travar uma guerra global contra o terror. A ameaça tem crescido como um câncer e tem sido um grande desafio neutralizar sua ameaça. O grande problema é que quando se enfraquece um grupo, outro assume a posição de forma mais radical e sangrenta, como foi o surgimento do EI que teve origem no Iraque e se alastrou até parte considerável do território da Síria, o grupo não realizou um ataque tão marcante como o 11 de setembro da Al Qaeda, mas no período de cerca de dois anos realizou cerca de 140 ataques em 29 países, levando a ameça terrorista á um novo nível. O EI apresenta um estrutura mais robusta em relação aos demais grupos, onde ao invés de se manter nas sombras, ele prefere atuar de maneira organizada e aberta, possuindo "centros de treinamento" controle de regiões em mais de uma dúzia de países, além de ser fortemente armado.

Temos estado neste tempo suficiente para saber que a derrota da ameaça terrorista global islâmica requer uma estratégia de resposta multifacetada que deve se desenvolver ao longo do tempo. Um aspecto chave de tal estratégia é o fortalecimento da capacidade dos países aliados, particularmente aqueles que lutam contra a ameaça local terroristas. Os aliados podem requerer assistência através de equipamentos, organização, logística e transporte. Não deve ser surpreendente que alguns destes países com sociedades fragmentadas, governos fracos e relativamente pouca experiência como Estado de Direito também necessitem de ajuda para aprender a modular o comportamento das forças de segurança na condução das operações antiterroristas.

A Nigéria é uma nação que precisa muito da ajuda externa, em especial dos EUA para combater a insurgência islâmica interna, o Boko Haram. Como parte de seu programa de assistência para Nigéria, os Estados Unidos ofereceram para o país 12 aeronaves A-29 Super Tucanos, uma aeronave desenvolvida pela brasileira Embraer para atender aos parâmetros da Força Aérea Brasileira, e que encontrou um excelente posicionamento no nicho do mercado internacional, sendo um grande sucesso de exportações e que agora opera com aliados dos EUA através de um acordo, o qual levou a produção de alguns exemplares em território dos EUA. A aeronave atende aos países aliados que precisam de prover apoio aéreo para suas operações de contra o terrorismo.

Quase inexplicavelmente, houve oposição de alguns aliados á esta venda. Os críticos teceram uma mistura de críticas baseadas em grande parte na subestimação da ameaça, uma má compreensão da natureza desta aeronave e seu leque de armas combinadas á operações de contra-terrorismo eficientes, a ignorância sobre as capacidades de emprego das aeronaves A-29 e questões políticas conflitantes.

Alguns críticos da assistência militar à Nigéria argumentam que é preciso dar prioridade à reforma do governo desse país, ao fim da corrupção e à prevenção dos excessos pelas forças nigerianas no combate ao terrorismo. Porém, o Boko Haram representa uma ameaça que demanda combate direto, lançando mãos de todos meios para sua neutralização. Desde a sua fundação em 2009,  o Boko Haram já raptou e assassinou milhares de pessoas, fazendo mais de 20 mil vítimas e levou 3 milhões de refugiados a deixar as áreas sob seu controle e influência. Em 2015 foi o grupo terrorista no mundo que mais causou vítimas. Ainda no mesmo ano o grupo jurou fidelidade ao EI. O Boko Haram não limitou suas atividades a Nigéria. Está presente em países vizinhos como Chade, Níger e Camarões. 

Diante da necessidade de dar um real combate ao crescimento do grupo no continente africano é fundamental possuir meios aéreos adequados para fornecer apoio as operações de combate ao grupo. Porém, ainda há opositores ao emprego de meios aéreos nesse tipo de operações, sendo um erro gravíssimo e resultado de falta de conhecimento estratégico e de emprego de meios táticos. 

O apoio aéreo aproximado tem se provado um meio eficaz na luta contra os grupos extremistas e diversos teatros de operações, como Afeganistão, Iraque e Síria, conferindo enormes vantagens táticas frente á movimentação terrorista no solo, possibilitando ataque direto a suas posições de maneira eficaz e segura. Mesmo em teatros de operações mais complexos com relevo e vegetação que beneficiam aos extremista, as aeronaves dotadas com sensores e armas adequadas podem fornecer poder de fogo eficaz e um potencial de ataque direto muito superior em termos de eficiência e segurança que outros meios não são capazes de oferecer. As aeronaves de ataque e apoio aéreo aproximado podem servir não apenas no emprego em missões de bombardeio e ataque, mas dar suporte as tropas em terra que avançam em áreas dominadas pelos extremistas, sendo um importante aliado da infantaria, sendo ainda de vital importância na coleta de dados para a inteligência. Podendo acompanhar a movimentação de grupos e comboios, prover a vigilância e o reconhecimento aéreos como uma das ferramentas mais importantes na realização do planejamento das missões das forças contra-terroristas, podendo ser "os olhos" da tropa.

O A-29 é uma aeronave adequada ao emprego nesse tipo de cenário, tendo provado o seu valor em várias ocasiões, podemos citar o emprego das aeronaves A-29 pertencentes ao governo colombiano, que empregou de maneira eficaz suas aeronaves contra a guerrilha das FARC, que operava em grande parte nas selvas desse país. O A-29 foi concebido especificamente para a luta contra insurgência e o terrorismo no cenário moderno de operações, o seu emprego requer pouco recurso, infraestrutura ou treinamento, possuindo um baixíssimo custo operacional. Sendo uma aeronave relativamente simples, robusta, capaz de operar a partir de pista improvisadas e sendo considerada pelos pilotos que já tiveram a oportunidade de voá-la, uma aeronave dócil e fácil de voar . O A-29 ainda oferece um vasto leque de avançados sensores eletro-ópticos, aviônica moderna e simplificada, um designador de alvo a laser e uma grande variedade de armas de precisão. A Força Aérea Afegã está operando com êxito seus exemplares do A-29. Tendo um grande ponto em seu favor o baixo custo de aquisição e custos operacionais mais baixos do que qualquer outro aeronave de ataque leve, o A-29 é o avião certo para forças aéreas com poucos recursos financeiros.

É de vital importância que haja investimento nos meios de combate ao terror, em especial nos meios aéreos, o qual a Embraer possui uma das melhores soluções do mercado. Sendo ainda de vital importância uma revisão das políticas internacionais quanto a liberação da venda das mesmas sem intervenções políticas dos governos detentores da patente de determinados sistemas, como no caso do A-29 é a motorização, sendo motivo de veto para venda externa a determinadas nações como ocorreu quanto a venda á Nigéria.

GBN -Seu canal de informação e notícias

0 comentários:

Postar um comentário