sábado, 26 de setembro de 2009

Proposta da SAAB.


Com a indicação da data final (02 Outubro) para a entrega das propostas revisadas os competidores do Projetos F-X2 reforçam suas campanhas.

Assim a Boeing, Dassault-Aviation e SAAB trabalham ativamente para lustrar suas propostas embora duas afirmem que as tinham prontas no dia 21 de Setembro.(SAAB e Dassault-Aviation)

Certas palavras passaram a ser mantras e adquiriram um significado especial no Projeto F-X2 uma delas é “Transferência de Tecnologia” e a “Independência de fornecimento”.

No dia 11 de Setembro a Força Aérea Brasileira emitiu o Esclarecimento sobre o Projeto F-X2 e detalhou os seguintes pontos como relevantes indicados pelo próprio Major-Brigadeiro-do-Ar Dirceu Tondolo Nôro, presidente da Comissão Gerencial do Projeto F-X2.

Os participantes (Rafale, Super Hornet e Gripen) estão sendo avaliados em cinco áreas prioritárias:

1 - transferência de tecnologia
2 - domínio do sistema de armas [pelo Brasil]
3 - acordos de compensação e participação da indústria nacional (offset)
4 - técnico-operacional
5 - comercial

Observa-se que em quatro das cinco áreas de avaliação a questão industrial-comercial está presente e somente no quarto item está a avaliação técnico-operacional.

Portanto a questão de transferência de tecnologia e participação da indústria nacional é de suma importância na avaliação conduzida pela FAB. Para evitar o que possa a ser uma simples sopa de letrinha o ministro Jobim alertou para o que significam os temos: “Ilimitada“ (transferência de tecnologia) adotada pelos franceses e a “necessária” adotada pela Boeing. E levantou a questão da liberdade de negociação dos suecos com o conteúdo de equipamentos americanos no Gripen NG.

Em um documento confidencial sobre a proposta da SAAB do Gripen NG BR. Há detalhes de todos os subsistemas e as suas procedências alguns fatos interessantes aparecem.

O único equipamento de procedência americana é a Turbina GE 414 e a unidade APU (Auxiliary Power Unit). Turbina é produzida na Suécia pela Volvo Aero com o nome de RM 12 . A própria Suécia fabrica ao menos 50% da turbina. Esta turbina equipa o Boeing F/A-18 E/F Super Hornet.

Na área de projeto a Suécia propõe um compartilhamento no desenvolvimento do avião. As Capacidade Essenciais a serem compartilhadas pelas equipes do Brasil e Suécia podem ser avaliadas no quadro abaixo:

- Weapon Integration (Integração de Armamento)
- Engine Integration (integração do motor)
- System Integration (integração de sistemas)
- Design Authority (Possibilidade de Projetar)
- Data links (Enlace de Dados)
- Electronic Warfare (Guerra Eletronica)
- Radar Cross Section ( Seção de Reflexão ao Radar)
- COTS Integration (Integração de sistemas Comerciais)
- Radar
- Aerodynamics (Aerodinâmica)
- Test & Evaluation (Avaliações e testes)
- Survivability (sobrevivência)
- Software development Desenvolvimento de Softwares)
- Tactical system integration (Integraçãode sistemas Táticos)
- Data recording systems (sistema de gravação de dados)
- Navigation functions (Funções de navehgação)
Os sub-sistemas do Gripen NG BR
e os países de origem

O mesmo que foi obtido pela África do Sul no fornecimento de estruturas e componentes para o Gripen será garantido ao Brasil. Assim SAAB oferece 40 % de participação no caça e que os componentes produzidos no Brasil serão usados nos caças a serem produzidos posteriormente na Suécia tanto para a Força Aérea da Suécia como para outros clientes.

O fornecimento de componentes e sub-sistemas pode ser avaliados na imagem que está nesta página. A lista dos componentes segue na tabela abaixo. As linha mais escuras da tabela indicam o Brasil como fornecedor, em todo ou em parte do sistema.

Sistema País

RADAR - Suécia - Europa
IRST - Infra Red Seach and Tracking - Brasil
Display Sistem - Brasil
Data Link Brasil - Suécia
Communication - Europa
Escape System ( Assento Ejetor)- Europa
Electrical System - Brasil
Enviromental Control System - Brasil
Fuel System ( Sistema de Combustível) - Europa
Hydraulic System - Europa
Electronic Warfare System (EWS) - Suécia
Main and Emergency Power System - Europa
Turbina and APU - EUA
IFF (Identification Friend Foe) - Brasil
Radome - Suécia
Reconnaissance System - Brasil
Flight Control System - Suécia
System Computers Brasil - Suécia
Navigation - Brasil
Telescopic Air to Air Refueling Probe - Europa
Airfrane (estrura) Brasil - Suécia - África do Sul
Gun (Canhão) Europa
Wheels & Brake Control System - Europa
Landing Gear ( Trem de Pouso)- Brasil

Fonte: Defesa@net

Nota: É muito interessante esta proposta, e deixa claro que não há a tal depêndencia de Washington, pois o único item americano é a turbina com seu APU (Unidade Auxiliar de Força em português).
Share this article :

0 comentários:

Postar um comentário

 

GBN News - GeoPolítica Brasil Copyright © 2012 Template Designed by BTDesigner · Powered by Blogger