domingo, 20 de setembro de 2009

Mais responsabilidade sobre a USN


A Marinha dos Estados Unidos marcará forte presença nas águas em torno da Europa a partir de 2011, informou o Pentágono no último dia 17 de setembro. Pelo menos duas ou três escoltas dotadas de capacidade BMD (Ballistic Missile Defense) ficarão nas proximidades do continente com o propósito de conter eventuais ataques com míssies balísticos a partir do solo iraniano.

Os navios patrulharão as águas desde o Mar do Norte até o Mediterrâneo. “Dependendo da situação podemos ter reforços de outras unidades”, informou o general James Cartwright, membro do Estado-Maior das Forças Armadas dos EUA.

Esta nova missão para os navios faz parte da estratégia do Presidente dos EUA Barack Obama para uma proteção ao continente europeu, uma vez que o “escudo anti-míssil” terrestre proposto pelo ex-presidente George W. Bush foi concelado.

O Secretário de Defesa Robert Gates e o Estado Maior da Forças Armadas recomendaram a mudança baseados nas informações dos serviços de inteligência que detectaram um desenvolvimento mais rápido de mísseis iranianos.

Um único navio da classe Arleigh Burke pode armazenar e disparar perto de uma centena de mísseis e um cruzador Ticonderoga possui 122 silos VLS. No entanto, nem todos os silos são ocupados por mísseis SM-3 BMD (Ballistic Missile Defense) e muitas escoltas ainda não estão preparadas para este tipo de missão.

Por esse motivo a USN corre para contar com um número maior de unidades BMD o mais breve possível. Atualmente existem 18 escoltas Aegis BMD e somente duas estão baseadas na costa leste dos EUA.

Segundo recomendações da MDA, agência norte-americana reponsável pelo desenvolvimento e integração dos sistemas anti-mísseis balísticos, nove navios serão modernizados com capacidade BMD até 2014. Todas estas unidades ficarão baseadas no Atlântico.

Dentre as unidades já selecionadas para o programa de modernização estão os cruzadores Vella Gulf e Monterey eo contratorpedeiro The Sullivans.

FONTE/FOTO: Navy Times
Share this article :

4 comentários:

  1. Ao que aparenta,causara o mesmo transtorno que enolveu EUA e Russia sobre os mísseis na Europa oriental.Até parece uma extratégia mascarada do porpositado pelo gov.Bush,agora sem por a responsabilidade nos países vizinhos da Russia.

    []'s,

    Ps:Gostei dos videos dos carros Saab,é realmente uma pena que a empresa faliu.

    ResponderExcluir
  2. Luan, obrigado pela participação, mas em relação a ter sido cancelado o escudo de míssies e agora ter implantado a defesa através do mar, não oferece uma ameaça imediata a Rússia, pois o motivo de a Rússia ter protestatdo foi o fato de ter tal sistema em sua fronteira

    ResponderExcluir
  3. Olá Angelo,não precisa agradecer,quando o produto é bom agente sempre corre atras.

    voltando ao assunto,acho melhor vermos aonde ficara os navios,digo sua posição geografica,não sei mas acho dificil ficarem em mares perto de seus maiores parceiros(Inglaterra,França)que estão na europa ocidental,o melhor talvez seria perto do mediterraneo,onde os EUA ja mantem uma frota,mas não com navios com sistemas "aegis",e um dos requisitos do sistema funcionar bem é este,ficar perto do míssil,e de contra sua tragetoria,pois não dara para apostar uma "corrida" com o míssil,tem q ser bem pensado,pois no mar mediterraneo ficara um pouco distante de alguns que precisam e muito perto de vizinhos incomodos(Siria),me pondo é claro na visão dos EUA.

    grande abraço
    Luan

    ResponderExcluir
  4. Luan, os navios devem ficar proximo ao golfo pérsico, onde existem aliados americanos e estará proximo ao teritório iraniano a maior ameaça.

    ResponderExcluir

 

GBN News - GeoPolítica Brasil Copyright © 2012 Template Designed by BTDesigner · Powered by Blogger