terça-feira, 12 de março de 2019

Orçamento da USAF para 2020 supera 165 Bilhões

A Força Aérea dos EUA está solicitando 165,6 bilhões no orçamento para o ano fiscal de 2020, um aumento de cerca de 10 bilhões a mais do que o 2019, onde pretende ganhar em prontidão, assim como liderar o desenvolvimento tecnológico.
As contas do serviço de operações e manutenção (O & M), bem como pesquisa, desenvolvimento, tecnologia e avaliação (RDT & E) saltaram cerca de 5 bilhões em comparação com o orçamento do ano fiscal de 2019, segundo documentos divulgados pela Força Aérea.
Para pesquisa e desenvolvimento, esse aumento ajuda a financiar um forte aumento nos investimentos para os programas de modernização nuclear e aeronaves de dissuasão nuclear da próxima geração, como o bombardeiro B-21 e o Ground Based Strategic Deterrent, os novos mísseis balísticos intercontinentais dos EUA.
Para a O & M, grande parte do financiamento adicional vai para a sustentação de plataformas, aumentando as horas de voo e modernizando a infraestrutura.
A Força Aérea ainda não divulgou seu orçamento completo, que geralmente inclui informações detalhadas sobre financiamento e uma projeção de cinco anos de seus gastos. No entanto, algumas tendências foram imediatamente aparentes:
As aquisições permaneceram estagnadas em 25,9 bilhões, com a maior mudança nessa conta impactando o estoque de caças. Em vez de se concentrar na aquisição dos caças F-35, o orçamento da Força Aérea busca financiamento para aquisição de 48 F-35A estimado em 4,9 bilhões e oito novos aviões F-15EX por 1,1 bilhão.
É importante ressaltar que ainda há muito menos caças do que o comando da Força Aérea quer comprar por ano. Tanto a secretária da Força Aérea, Heather Wilson, quanto o chefe de gabinete, Gen. Dave Goldfein, disseram que o serviço deveria comprar 72 caças a cada ciclo orçamentário. O orçamento para 2020 consta de apenas 56 jatos, o equivalente à quantidade de F-35 apropriada pelo Congresso no ano passado.
“Nós realmente não precisávamos, e não podíamos pagar todas as aeronaves de quinta geração. E havia ainda um lugar realmente importante para as aeronaves de quarta geração ", disse um representante do governo.
No entanto, um segundo funcionário disse que o departamento continua "totalmente comprometido" com a capacidade de quinta geração, dizendo que a decisão do F-15X foi "baseada em análises que ocorreram durante um período de tempo. … Sabemos que precisamos de um mix de caças de quarta e quinta geração agora, enquanto construímos nossa capacidade de quinta geração. Então, isso é sobre investir na quinta geração. Não se trata de substituí-la.
Em vez de aumentar a aquisição de F-35, parece ter expandido o financiamento de pesquisa e desenvolvimento para o programa, elevando seu investimento no programa de modernização do Block 4 de 504 milhões no orçamento de 2019 para 794 milhões no orçamento de 2020.
A Força Aérea também investiu pesadamente no desenvolvimento de sua futura aeronave. O financiamento para  aeronave da próxima geração - um portfólio de sistemas que provavelmente inclui um novo caça de superioridade aérea - disparou de 430 milhões para 1 bilhão.
Em sua conta de aquisições, a Força Aérea retarda a compra de aviões-tanque KC-46 para apenas 12 aviões em 2020, compensando o ano de 2018, quando o Congresso alocou fundos para 18 aeronaves, em vez das 15 planejadas para o ano. O serviço também compraria menos MC-130J este ano - incluindo apenas oito aviões em seu pedido, quando os planos de 2019 previam 13 aeronaves.
Por outro lado, o serviço parece estar aumentando o número de MQ-9 que planeja comprar em 2020, indo das quatro aeronaves previstas no orçamento de 2019 para 12 novos drones MQ-9.
O financiamento para o bombardeiro B-21 da Força Aérea aumentou de 2,2 bilhões em 2019 para 3 bilhões em 2020, e o programa é provavelmente o destinatário de outro financiamento no orçamento confidencial. O orçamento da RDT & E também incluiu 348,5 milhões para continuar o projeto de aeronaves de treinamento TX e 757,9 milhões para o desenvolvimento dos novos Air Force One.
Enquanto isso, a prototipagem de armas hipersônicas permaneceu estável em 576 milhões.
Em seu portfólio espacial, a Força Aérea solicitou financiamento para realizar quatro lançamentos espaciais de segurança nacional e o primeiro satélite de acompanhamento GPS III. No geral, o financiamento de aquisição espacial permaneceu estável em 2,4 bilhões. Além disso, o serviço planeja gastar quase 1,4 bilhão em fundos de desenvolvimento em direção ao seu sistema de infravermelho persistente, que aumentará a capacidade do serviço de detectar mísseis balísticos do espaço.
Outras contas também permaneceram estáveis. O serviço incluiu 12 helicópteros C-SAR da Sikorsky por 1,7 bilhão, bem como fundos para uma aeronave EC-37B Compass Call.
As contas de mísseis aumentaram ligeiramente, de 1,7 bilhão em 2019 para 2 bilhões. No entanto, o serviço optou por dobrar sua compra da Small Diameter Bomb II de 510 para 1.175 bombas.

GBN News - A informação começa aqui
com Defense News
Share this article :

0 comentários:

Postar um comentário

 

GBN News - GeoPolítica Brasil Copyright © 2012 Template Designed by BTDesigner · Powered by Blogger