quinta-feira, 1 de junho de 2017

Putin diz que a Rússia deve responder ao acúmulo de potencial militar de outros países

O acúmulo de potencial militar da Rússia é a reação de Moscou às mudanças externas, disse o presidente da Rússia, Vladimir Putin, em uma reunião com agências de notícias do mundo nesta quinta-feira (1).

"Quanto ao acúmulo de nossos potenciais militares no Extremo Oriente russo e nas ilhas Kurilas em particular, esta não é uma iniciativa da Rússia, como na Europa", disse Putin.

"As bases da OTAN estão se aproximando de nossas fronteiras ocidentais e a infraestrutura está se aproximando, os incidentes estão aumentando e nós simplesmente temos que ficar passivamente assistindo a isso? Não, essa não será nossa postura e estamos respondendo em conformidade. O mesmo ocorre no Oriente ", disse o presidente russo.

A Rússia vê o último desenvolvimento do sistema anti-mísseis dos EUA na Coréia do Sul como um desafio e não o deixará sem uma resposta, disse o presidente da Rússia, Vladimir Putin, explicando o acumulo militar da Rússia na região.

"Esta questão é uma grande preocupação para nós e temos constantemente expressado isso por décadas. Isso perturba o equilíbrio estratégico no mundo " , sublinhou Putin ao falar com a imprensa à margem do Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo nesta quinta-feira (1). "Mas o mundo está em silêncio e ninguém nos escuta".

"Eles têm implantado seu sistema anti-mísseis no Alasca e agora na Coréia do Sul. Temos que olhar isso impotentemente e fazer o mesmo na Europa Oriental? Claro que não. Nós daremos nossa resposta a esse desafio", acrescentou .

Putin disse que a Rússia não acredita nas garantias ocidentais de que o sistema anti-mísseis não é dirigido contra a Rússia e está trabalhando em maneiras de contrariá-lo. Ele disse que é de fato parte de uma corrida de armamentista.

O presidente russo disse que os EUA costumavam justificar a implantação de sistemas do tipo na Europa por conta de uma ameaça percebida pelo Irã, mas o acordo nuclear com Teerã não alterou sua implantação. Então ele considera a justificativa da implantação na Ásia-Pacífico e a ameaça da Coreia do Norte igualmente duvidosa.

"Não se trata da Coreia do Norte. Se amanhã, a Coréia do Norte declara que está parando os testes nucleares e cancelando seu programa de mísseis, os EUA continuarão construindo seu sistema anti-mísseis sob novo pretexto ou mesmo sem um" , disse ele.
Na última década a Rússia tem investido pesado no reaparelhamento de sua forças armadas, realizando a aquisição de diversos meios aéreos, navais e terrestres, além de modernizar sua capacidade de dissuasão nuclear. 

A Síria tem servido como um excelente campo de provas para estudo, desenvolvimento e avaliação de armamentos modernos e aperfeiçoamento de táticas e tecnologias de emprego militar.

Grande parte do esforço russo em modernizar e aumentar suas capacidades militares, esta diretamente ligada ao aumento da presença de forças da OTAN em suas fronteiras e zonas de interesse, algo que tem elevado a tensão entre ambos, ocasionando no expressivo aumento de incidentes envolvendo aeronaves e navios de ambos os lados, algo que remonta em parte as tensões vividas na "extinta" Guerra Fria, o que nos leva a crer que a tendência é o aumento nos incidentes e no distanciamento entre os estados europeus e a Rússia.


GBN seu canal de informação e notícias


0 comentários:

Postar um comentário