segunda-feira, 17 de abril de 2017

Conhecendo o H225M "Caracal"

Nascido para atender uma requisição da  Armée de l'Air, a Força Aérea Francesa, o "Caracal", que inicialmente recebeu a nomenclatura EC-725, surgiu depois que o  AS 532 A2 Cougar foi reprovado pelas avaliações Armée de l'Air para cumprir com as missões de busca e resgate, além de executar missões C-SAR, após uma bateria de testes entre os anos de 1996 e 1999. A Armée de l'Air exibiu em seu debriefing que a aeronave carecia de motores potentes, e resistência ás condições severas de operação. Tal resposta levou os engenheiros da Eurocopter, hoje Airbus Helicopters, a se debruçarem sobre a prancheta e iniciar um novo projeto, usando como base o AS-532, porém, com muito mais capacidades e tecnologia, assim começa o desenvolvimento do "Caracal". 

A princípio a nova aeronave foi chamada de "Cougar MKII +", recebendo em seu projeto muitas melhorias e aperfeiçoamentos em relação ao A 532 A2, cumprindo e em muitos casos, superando o previsto pelas especificações emitidas pela Armée de l'Air para atender aos seus requisitos operacionais. Contando com uma nova e moderna aviônica, novos equipamentos específicos para atender as missões previstas pelo programa e com um novo conjunto de motorização, a nova aeronave superava o projeto inicial do AS 532 A2, o que levou a equipe de desenvolvimento a mudar sua denominação para EC-725, nascia o "Caracal". 

A nova aeronave teve o desenho do rotor principal aperfeiçoado, agora em material compósito de cinco pás incorporando um novo perfil aerodinâmico que reduziu os níveis de vibração. O novo projeto prevê ser equipado com proteção balística removível, aumentando a proteção dos seus ocupantes e tripulação. O "Caracal" recebeu atenção especial a sua motorização, onde recebeu duas turbinas Turbomeca Makila 1A4 turboshaft montados sobresua cabine, equipados com sistema FADEC independente para cada motor. Essa nova motorização pode receber um sistema anti-gelo, o que permiti á aeronave operar em climas com temperaturas extremamente baixas. O conjunto ainda recebeu uma nova caixa de engrenagens do rotor principal reforçada e um glass-cockpit. O cockpit foi equipado com um moderno sistema de exibição integrado com um mapa digital e Displays ativos de matrix em cristal líquido.

O "Caracal" foi concebido com a capacidade de realizar busca e resgate tanto de dia como de noite, graças a um FLIR, sendo este sistema responsável por permitir que o "Caracal" opere sob condições adversas, seja visual ou por instrumentos.

EC-225 operando off-shore
Após um curto período de desenvolvimento, o novo produto da Eurocopter deixava as pranchetas para ganhar forma e já em 27 de novembro de 2000, o primeiro protótipo do EC-725 "Caracal" alçava voo pela primeira vez em Marignane, realizando extensa avaliação de suas capacidades e envelope de voo e missão, o EC-725 "Caracal" finalmente veio á público pela primeira vez em janeiro de 2001. A nova aeronave concluiu seus testes com sucesso e recebeu uma encomenda inicial para 6 unidades para equipar a Armée de l'Air, onde seria destinado a cumprir missões SAR e C-SAR, sendo este contrato inicial seguido de outro que previa a aquisição de mais 20 aeronaves do tipo, com o primeiro exemplar sendo entregue em fevereiro de 2005.

O EC-725 apresentava ótimas características e potencial para atender também as necessidades de um importante nicho da aviação civil, e tendo em vista esta oportunidade, a Eurocopter desenvolveu em paralelo á versão militar, uma versão destinada ao mercado civil, em especial o promissor mercado offshore, nascia então a variante civil EC-225.

O "Caracal" viria a fazer parte dos programas estratégicos brasileiros em 2008, quando o governo brasileiro fechou um contrato bilionário com a Eurocopter, o qual visava não apenas a aquisição de 50 aeronaves do tipo para equipar as três forças brasileiras, mas um ambicioso programa de produção sob licença, no qual a Helibras, seria a responsável pela produção e o desenvolvimento da versão brasileira do "Caracal".

H225M equipado com Exocet na Marinha do Brasil
Os primeiros exemplares do "Caracal" desembarcaram no Brasil no fim de 2010, com sua produção nacional sendo iniciada em 2012. A versão brasileira do "Caracal" recebeu muitos refinamentos em relação a versão original, sendo integrados ao mesmo diversos sistemas e em um programa conjunto com a MBDA, o "Caracal" teve integrado ao seu leque de armamento o míssil anti navio "Exocet", o que tornou a plataforma um vetor de grande valor para a operação de guerra de superfície na Marinha do Brasil. Tal integração é um marco para a indústria de defesa brasileira, a qual agora produz também este míssil, o qual possui um bem sucedido histórico em combate.

O "Caracal" rapidamente ganhou espaço nas linhas de voo das forças armadas brasileiras, onde tem exibido uma excelente folha de serviços, sendo empregados em diversas situações e cumprido com louvor variados perfis de missão. Tendo em outubro de 2015 superado a marca das 10mil horas voadas com as cores brasileiras! Ano que o "Caracal" também receberia uma nova designação, deixando de ser nomeado EC-725 para passar a ser denominado H-225.

Ao longo dos anos o "Caracal" se tornou um sucesso de exportações, passando a ser operado por diversas nações além do Brasil e da França.

Este ano durante a LAAD 2017, nossa equipe pode conferir um exemplar do H-225 M, apresentado com um par de misseis Exocet integrados ao mesmo, sendo alvo de muitos olhares e visitas por representantes de diversos países que visitaram a feira.

Apesar de algumas criticas, temos que reconhecer que o H-225M "Caracal" é um valoroso vetor que vem a somar as nossas capacidades, tanto na defesa, através de seu emprego por nossas forças armadas, como pela capacitação de nossa indústria de defesa, propiciando á mesma a absorção de importantes tecnologias e conhecimentos que poderão ser empregados na concepção futura de novos programas nacionais de defesa.


Informações Técnicas

Tripulação: 2
Capacidade : 29 soldados ou 5.670 Kg de carga útil

Comprimento: 19,5 m
Altura: 4,6 m
Peso vazio: 5.330 kg
Peso máximo de decolagem : 11.200 kg
Motorização: 2 turbocompressores Turboméca Makila 2A1
Velocidade máxima: 324 km/h
Velocidade de cruzeiro: 285 km/h
Alcance: 1.325 km (823 mi; 715 nmi)
Teto de serviço: 6.095 m
Razão de subida: 7.4 m/s






Por: Angelo Nicolaci - Jornalista, editor do GBN News, graduando em relações internacionais pela UCAM, especialista em geopolítica e estratégia e estudioso dos assuntos co-relatos a defesa e estratégia e suas tecnologias.

Fotos: Angelo Nicolaci - GBN News

GBN seu canal de informação e notícias





0 comentários:

Postar um comentário