quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

KC-390 realiza primeiro REVO e avança rumo a certificação

A nova aeronave da Embraer, o KC-390, realizou mais uma importante fase em seu programa de certificação. Desde o dia 1 de fevereiro as equipes de engenheiros da Embraer e da Força Aérea Brasileira, vem realizando os testes necessários à certificação para realização de missões REVO,  com o protótipo do KC-390 realizando a primeira missão do tipo, atuando como tanker e tendo aeronaves da  F-5M da BASC como receivers.


A primeira missão de reabastecimento em voo da maior aeronave já produzida no Brasil, o futuro cargueiro da Força Aérea Brasileira KC-390, conduzida desde o início de fevereiro até esta quarta-feira (22), que reuniu uma equipe de técnicos da FAB e profissionais da Embraer que trabalharam juntos em mais uma fase da campanha de ensaios em voo, dessa vez para teste do WARP, sigla em inglês para Wing Air Refulling Pod. O equipamento fica localizado abaixo das asas do cargueiro e é responsável pelo funcionamento da mangueira de reabastecimento, que tem 30m de comprimento. Como receivers, foram utilizados caças F-5M da BASC.

Nessa primeira avaliação não houve efetiva transferência de combustível, todos os demais procedimentos envolvidos no REVO foram efetivados. Raphael Leme, líder da engenharia de ensaios em voo do KC-390, explica que esse é um teste importante, já que se trata do primeiro tanker produzido pela Embraer. “Estamos trabalhando com o fator novidade”,afirma. Ele explica, ainda, que o principal aspecto a ser testado é a capacidade do software do WARP de tensionar a mangueira: ela não pode formar ondas, tampouco se pode permitir aquilo que se chama de ‘mangueira morta’, quando não há sustentação.

Outro desafio enfrentado nesse ensaio é que, quando há duas aeronaves em contato, é preciso encontrar parâmetros comuns para se montar o perfil de voo. Nos ensaios, os voos são realizados no chamado ‘envelope’ da aeronave, ou seja, dentro das condições mais críticas do avião no que se refere à velocidade e à altitude mínimas e máximas. “Como o F-5M e o KC-390 possuem envelopes diferentes, é preciso encontrar um terceiro envelope, fruto das interseções entre as duas aeronaves, para realizar o reabastecimento”, explica o Tenente-Coronel Fernando Benitez Leal, gerente técnico do programa KC-X.

O Major Kildary Sena, piloto de ensaios que comandou um F-5M durante um dos voos de REVO, explica algumas especificidades da nova aeronave, como a capacidade de reabastecer e de ser reabastecido e também de reabastecer helicópteros. “Outros aspectos que fazem diferença são o sistema de pilotagem fly-by-wire e o motor turbofan, como aqueles usados na aviação comercial”, afirma. Eles fazem com que o avião tenha mais estabilidade e o ar saia menos turbulento para as aeronaves que estão atrás, ainda que em uma velocidade mais alta.


O KC-390 segue o cronograma, e o término da campanha de ensaios do KC-390 se estende até o final de 2018. Atualmente o programa conta com dois protótipos realizando testes em voo, um terceiro está em fase de finalização de montagem. Ao todo, serão mais de 2 mil horas de voo para realização dos testes de desenvolvimento e certificação e finalmente a sua entrada em operação com a FAB e seus demais operadores, uma aeronave que promete ser um grande sucesso de vendas da Embraer.


GBN seu canal de informação e notícias

0 comentários:

Postar um comentário