domingo, 1 de dezembro de 2013

Brasil fecha contrato para novo satélite estratégico de comunicações

 
A estatal de telecomunicaçõesTelebras assinou um contrato de 560 milhões dólares para aquisição de um satélite para comunicações seguras na quinta-feira (28) , após meses de indignação com as revelações da cyber- espionagem praticada pelos EUA.
A declaração disse que uma joint venture entre a Telebrás e Embraer vai entregar o satélite geoestacionário para comunicações estratégicas até o final de 2016.
A Embraer disse que o satélite irá garantir ao Brasil "soberania em suas comunicações estratégicas em ambas as áreas civis e militares. "
Brasília tem demonstrado irritação diante dos relatos de espionagem eletrônica dos EUA sobre as comunicações do governo brasileiro, bem como dados das chamadas telefônicas e e-mails de milhões de brasileiros .
Essas informações , provenientes das divulgações feitas pelo ex agente da NSA, Edward Snowden , levou a presidente do Brasil, Dilma Rousseff a repreender os Estados Unidos na Assembléia Geral da ONU em setembro, e ao cancelamento de uma visita de Estado a Washington.
A Visiona Tecnologia Espacial , uma joint venture entre a Embraer e a Telebras , será responsável pela integração do sistema de Defesa e o Strategic Communications Geostationary Satellite ( SGDC ), disse a Embraer .
"O sistema SGDC não só sirá atisfazer as necessidades de Programa Nacional de Banda Larga da Telebrás ( PNBL ) e as comunicações estratégicas das Forças Armadas Brasileiras , mas também é uma oportunidade para o Brasil de garantir a soberania de suas comunicações estratégicas , tanto no âmbito civil como nas áreas militares ", disse o presidente da Telebrás Caio Bonilha .
O sistema SGDC envolve os ministérios das comunicações , defesa, ciência e tecnologia , disse um comunicado da Embraer .
Ele disse que o satélite será operado pela Telebrás na banda civil e pelo Ministério da Defesa sobre a banda militar.
A empresa franco-italiana Thales Alenia Space (TAS) irá fornecer o satélite enquanto a empresa de lançamento de satélites europeu Arianespace irá colocá-lo em órbita.
Os fornecedores irão transferir tecnologia para as empresas brasileiras , um processo que será supervisionado pela Agência Espacial Brasileira, disse Embraer.
Ele ressaltou que o sistema SGDC irá proporcionar segurança completa para comunicações estratégicas do governo e comunicações militares , uma vez que " será controlada no Brasil em estações que estão localizadas em áreas militares , sob a coordenação da Telebrás e o Ministério da Defesa . "
" Os satélites que atualmente prestam serviços para o Brasil são controlados por estações fora do país ou o controle está nas mãos de empresas geridas por capital estrangeiro ", disse a Embraer .
 
" Em qualquer dos casos há riscos dos serviços  sofrerem interrupção em situações de conflito internacional ou devido a interesses políticos ou econômicos de outras pessoas ", acrescentou .
 
Fonte: GBN com agências de notícias

0 comentários:

Postar um comentário