domingo, 29 de dezembro de 2013

Suécos querem ampliar as dimensões no acordo de venda do GRIPEN NG


O governo sueco está trabalhando em uma estratégia conjunta com a Saab para uma proposta que visa ampliar a dimensão do acordo alcançado com a vendo ao Brasil do seu caça Gripen NG. Tal proposta prevê o Brasil como a base de produção primária para vendas futuras do Gripen NG para a América do Sul e África através de uma joint venture com a Embraer.

O primeiro-ministro da Suécia, Fredrik Reinfeldt pretende convocar uma reunião para discutir a venda do Gripen ao Brasil em janeiro. Já circula informações que a proposta ligaria investimentos industriais de grande porte envolvendo sistemas de tecnologia mais avançada de empresas da Suécia a serem incuidas ao contrato de venda . A proposta deve incluir também empresas fora do setor de defesa.

Mesmo sendo escolhida para fornecer os novos caças da Força Aérea Brasileira, a SAAB e o governo suéco visam ir além do mero fornecimento de 36 caças, o interesse maior é de se estabelecer uma parceria mais sólida para desenvolver novos produtos e tecnologias, além de ganhar um parceiro de peso no mercado exterior, ganhando uma parceira de peso no mercado de defesa, a Embraer.

O governo brasileiro sinalizou ainda que esta aberto a considerar a compra de um adicional de aproximadamente 100 caças Gripen NG se o contrato cumprir o cronograma de entrega e principalmente manter o orçamento definido no Brasil.

O governo sueco já confirmou que parte dos 36 caças já serão manufaturadas no Brasil, sendo estes componentes fabricados em uma nova fábrica da SAAB em São Bernardo do Campo. As aeronaves devem ser produzidas em parceria com a Embraer em Gavião Peixoto, onde já há infraestrutura para testes de aeronaves.

O Brasil possui excelentes relações com seus vizinhos na América do Sul e com outros países em desenvolvimento, além de ter uma bem sucedida projeção de seus produtos de defesa na África, onde recentemente fechou contratos para fornecer aeronaves Super Tucano da Embraer. Isso é algo extremamente atraente para a SAAB que busca adentrar novos mercados com sua nova aeronave o Gripen NG em suas variante monoposto Gripen E e biposto Gripen F.

Os dois governos também estão discutindo uma solução provisória , antes da entrega dos primeiros caças que devem ocorrer no ano de 2018, uma solução como citamos aqui em nosso site ao anunciar a vitória suéca seria o arrendamento de aeronaves Gripen C / D excedentes da Força Aérea Sueca, uma vez que seria uma excelente plataforma de conversão para o novo caça.

O estoque atual de Gripens da Força Aérea Sueca possui cerca de 87 aeronaves Gripen-C e 50 caças Gripen-A que foram fabricados em meados da década de 1990, onde é possível rapidamente atualiza-los e os colocar em operação com o cocar da FAB.

Nós do GBN - GeoPolítica Brasil tivemos a oportunidade de conversar durante as edições da LAAD com representantes da SAAB que sempre se mostraram otimistas e dispostos a fornecer ao Brasil a melhor solução para nossa Força Aérea, apresentando um produto de excelente nível tecnológico. Foi um páreo duro o FX-2, mas nossa equipe torceu para que a escolha recaísse sobre o Gripen NG ou o francês Rafale por apresentarem-se como plataformas extremamentes modernas e com atraentes propostas para nossa indústria e desenvolvimento tecnológico.

GBN GeoPolítica Brasil

0 comentários:

Postar um comentário