segunda-feira, 20 de dezembro de 2021

Sistema Operacional Militar Terrestre - Exército Brasileiro na vanguarda


Todas as forças militares ao redor do mundo necessitam manter suas tropas bem treinadas e capacitadas para todos os tipos de cenários possíveis, seja ele no ar, mar, ou terra. 


Neste artigo iremos mostrar os meios de simulações do EB e esclarecer algumas dúvidas relacionadas a esta importante função.


Para esta função são realizadas as simulações de combate, com estas simulações sendo muito importantes para manter as tropas bem treinadas para o combate.


O EB através do COTER (Comando de Operações Terrestres) possui suas próprias OM para a realização das simulações, com esta função sendo subordinada para o SISOMT (Sistema Operacional Militar Terrestre). 


Qual a função do SISOMT? 


A principal função do SISOMT é coordenar e orientar o preparo e emprego da força terrestre, com ênfase no efetivo profissional.


O SISOMT é organizado em 3 divisões:


1- Sistema de preparo (SISPREPARO)

2- Sistema de Emprego (SISEMP)

3- Sistema de informações operacionais terrestres (SINFOTER)


A divisão destinada às simulações é a do SISPREPARO, que também é divida em 3 organizações para esta função, com a específica da simulação sendo a Sistema de simulação do Exército Brasileiro (SSEB)


Qual a função do SSEB?


O SSEB engloba o conjunto de recursos humanos, instalações, aplicativos e equipamentos de simulação empregados no adestramento, treinamento, instrução, ensino militar e no suporte de decisão. O SSEB destina-se a prover os meios para o treinamento baseado em tecnologias aplicadas em ambientes simulados, proporcionando aos militares envolvidos o treinamento individual e coletivo de suas tarefas o mais próximo do real possivel e o suporte à tomadas de decisão dos escalões operacionais e organizacionais.



Para entendermos como funcionam as simulações militares, precisamos saber o que é a simulação militar.


O que é a Simulação Militar?


A Simulação Militar é a reprodução, conforme as regras pré determinadas, de aspectos específicos de uma atividade militar ou da operação de material de emprego militar, empregando um conjunto de equipamentos, softwares e infraestruturas.


As simulações militares podem ser conduzidas em três modalidades: 


  • Simulação viva- envolve pessoas reais, operando sistemas reais (armas, viaturas e equipamentos), no mundo real.

  • Simulação virtual- envolve pessoas reais, operando sistemas simulados ou gerados através de computadores.

  • Simulação construtiva- envolve tropas simuladas, operando sistemas simulados, controlados por pessoas reais.


Estas três simulações são muito importantes pois são voltadas para o aprimoramentos e táticas diferentes, com cada uma sendo voltada para determinada tática e função, com a Simulação Viva sendo mais focada na prática, com a Virtual estando mais voltada para o aprimoramento técnico, tático e focado principalmente em sistemas de armas e aeronaves, com a última sendo a Construtiva que está voltada para as simulações com jogos de guerra e com o apoio de IA ( Inteligência Artificial). 


Atualmente o EB utiliza equipamentos de ultima geração, com o equipamento utilizado hoje sendo o DSET da empresa Sueca SAAB, uma empresa já bem conhecida pelas forças militares do Brasil.


Alguns equipamentos que constituem o DSET



O DSET ( Dispositivo de Simulação e Engajamento Tático), foi adquirido em parceria entre o EB e a SAAB, com o DSET sendo um dos sistemas básicos aplicados nos exercicios de simulação, sendo composto basicamente pelos seguintes itens:


  1. Personnel Detection Device (PDD)

  2. Small Arms Transmitter (SAT)

  3. Wireless Target Sistem (WTS)

  4. Control Gun (CGUN)


Personal Detection Device (PDD)

  

     Consiste em uma vestimenta que simula as fatalidades de disparos diretos e indiretos. O sistema de PDD toma ciência da sua situação através de um sistema de auto-falantes embutido no equipamento.


O PDD é dividido em 2 vestimentas, sendo elas o capacete e o suspensório utilizado no corpo do militar.


Foto: SAAB


Os equipamentos utilizam sistemas a laser, que quando direcionado para a parte onde está o suspensório e o capacete, emite um som e indica o local onde o militar foi "atingido".


       Small Arms Transmitter (SAT)


O SAT é ligado diretamente ao PDD, com este sistema sendo direcionado as armas utilizadas pelos militares, com os militares podendo trocar suas armas no campo de simulação sem precisar realizar ajustes no equipamento.


      Wireless Target Sistem (WTS)


O WTS é um sistema de detecção utilizado em viaturas, com qualquer viatura podendo receber o WTS, tanto veiculos leves, médios ou pesados, com o sistema possuindo 3 niveis de proteção (baixo, médio, alto), variando de acordo com a blindagem do veiculo utilizado.


WTS utilizado em um blindado Leopard 1a5

Foto: EB

     

Control Gun:


A Control Gun é um equipamento que fica em posse dos militares, que permitem controlar alvos a uma distância de até 40 metros. A Control Gun pode analisar se o militar foi ferido ou morto, com o alvo sendo atingido através de um laser.


Foto: SAAB


Estes são os equipamentos e sistemas que integram o DSET na simulação viva.


Simulação Virtual:


A simulação virtual consiste nos treinamentos virtuais, e para isso o EB utiliza o VBS3, com o software virtual Bohemia que foi adquirido em 2017, mas só foi implantado em 2018 no COTER-AMAN- CA Leste- CA Sul- Cl Bld.


O VBS3 tem como função imitar o terreno, armas, aeronaves, veiculos e se necessário os militares no campo de batalha, com este sistema sendo um sistema profissional de emprego para as simulações virtuais táticas. 


Como é um sistema de simulação, seu emprego é destinado a militares que estão na fase de preparo em determinadas OM's (Organizações Militares).



Simulação Construtiva:


A simulação construtiva é utilizada durante os jogos de guerra, com a IA sendo utilizada em grande parte para trazer o cenário mais real possivel, como o acerto com disparos do sistema Astros, ataques aéreos, marchas e etc. O sistema utilizado pelo EB é o COMBATER, com o software sendo o francês sword da Masa Group, adquirido em 2013 com a base de dados e customizado para as caracteristicas do EB.



Atualmente quais são as vantagens das simulações de combate?


  1. Redução de custos

  2. Eficiência

  3. Eficácia

  4. Redução de riscos para o pessoal

  5. Menos danos ao meio ambiente



Isso nos mostra como é importante para uma determinada força estes meios de simulação, com grandes ganhos operacionais e reduzindo os custos e riscos para os nossos militares.


Texto de Kauê Saviano Fiuza*, 'estagiário' do GBN Defense e do Canal Militarizando

*Kauê Saviano Fiuza é estudante, passou a estudar assuntos militares com seus 12 anos, tendo foco em politica, geopolitica e militarismo mundial. Escreve com maior ênfase sobre as forças armadas brasileiras e sobre veiculos, tendo grande paixão por história e geografia.


GBN Defense - A informação começa aqui!

Canal Militarizando, analisando e debatendo História Militar, Estratégia e Defesa com compromisso e qualidade! Instagram - Facebook


Share this article :

0 comentários:

Postar um comentário

 

GBN Defense - A informação começa aqui Copyright © 2012 Template Designed by BTDesigner · Powered by Blogger